Cadernos de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo

Cadernos de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo.

Notícias

 
Nenhuma notícia publicada.
 
Outras notícias...

v. 16, n. 2 (2016)

Uma discussão de Projeto - da Cidade à Arquitetura

O Projeto é o foco das temáticas abordadas pelos artigos do volume 2016.2 do CadernoPós. Do Urbanismo ao Planejamento e à Arquitetura, os artigos discutem seus temas tendo como substrato o Projeto.

A abertura do conjunto de artigos desta publicação está a cargo de José Geraldo Simões Júnior que, homenageado pelo trabalho dedicado a este periódico, foi convidado, pelo novo grupo de editores, a publicar uma de suas pesquisas. O artigo "Os projetos para o bairro do Pacaembu e o debate urbanístico em São Paulo" aborda o projeto do Bairro do Pacaembu que, ao propor uma nova lei dos arruamentos inaugura um desenho avançado em termos ambientais e técnicos de implantação urbana. De forma histórico-cronológica e através de fontes documentais inéditas o artigo vai esclarecendo o processo que se articula, no tempo, na confluência de relações profissionais, ideário urbanístico internacional e saber técnico. Através de fontes documentais inéditas mostra, na incidência do tempo, a experiência culta de construção de um Projeto modelo para o Urbanismo da cidade de São Paulo.

Na tônica do Projeto em escala urbana e sua relação com a gestão da definição da cidade, três artigos discutem a relevância do papel do estado, por omissão ou por agenciamento de desigualdade sócio espacial, e o direito à cidade à luz do Estatuto da Cidade (Lei 10.257/2001).

Aproximada à escala do projeto arquitetônico, a discussão se localiza nas virtudes física e material do edifício. Em sua relação com questões de uso e ocupação, em sua afinidade com as artes plásticas, em sua formalização estética e técnica. Ainda nesta escala, a sequência de artigos se completa no relato de uma experiência de ensino que, embora localizada em uma discussão didático-pedagógica, contribui para uma reflexão que perpassa todos os demais: o projeto é um saber específico e gerador de conhecimento.

 

I - Direito à cidade, contradição e desenvolvimento de uma sociedade democrática

Raquel Gomes Valadares e Ítalo Stephan argumentam em “Plano Diretor Urbano – Instrumento da desigualdade social: uma análise de Vitória da Conquista – BA”, a ideia que o Plano Diretor Urbano é uma Lei Municipal que promove a segregação social, pois encerra no interior de seus mecanismos de organizar o espaço urbano, por meio da ordenação da ocupação do solo e do planejamento do desenvolvimento do espaço urbano, diretrizes que ressaltam a dicotomia social e econômica, atribuindo atendimento desigual às demandas das áreas do espaço urbano. O argumento se explicita em uma análise de caso sobre o terceiro maior município do Estado da Bahia.

“Habitação social e Operação Urbana Consorciada Água Espraiada em São Paulo”, o texto de Silvia Mikami e Laura Rocha se propõe a discutir a contradição que acompanha o cumprimento da função social da propriedade, do interesse coletivo e da redução das desigualdades sociais, e que terminam por promover a valorização do solo urbano e da propriedade privada. O estudo de caso Água Espraiada mostra que, atrelados à Operação Urbana Consorciada, os projetos de habitação social têm pouco impacto nos orçamentos, mediante a grandiosidade das vantagens adquiridas pelo mercado imobiliário e dos altos recursos destinados para as obras viárias. Também não asseguraram o legítimo direito à cidade.

No artigo “O Direito à Cidade e o Problema da Acessibilidade: um Novo Olhar Sobre as Cidades Brasileiras”, Eduardo Patrício da Silva discute a acessibilidade do ponto de vista de sua definição conceitual e sua função social no desenvolvimento de uma sociedade democrática. Também aborda o tema nas urbes brasileiras e a esperada participação da sociedade civil na concepção de cidades acessíveis. No entendimento de que a interação de legislação e materialização da cidade é uma questão, o autor defende que a acessibilidade, ao ser uma parte integrante da dinâmica e do funcionamento das cidades, se constitui como elemento agregador na qualidade de vida urbana e que, portanto, deve ser considerada como uma das exigências norteadoras das decisões de projetos.
 

II - Sobre Projeto

A “Análise das Condições de Uso e Ocupação de HIS, Localizadas na Cidade de Pelotas – ZB2, Preconizadas no RTQ-R no Método de Simulação Computacional”, de Raquel Ramos Silveira da Mota, encabeça a aproximação ao projeto e à obra na escala do edifício. Apoiado em normas e tecnologia, o artigo descreve o roteiro, o método de aproximação, a execução e os resultados de um estudo sobre casas do programa Minha Casa Minha Vida que relaciona os aspectos construtivos e parâmetros de uso e ocupação.

Se a técnica ampara, cada vez mais, as possibilidades de estudo e pesquisa na escala do edifício, a relação da arquitetura com as artes tem sido pouco discutida na esfera do ensino e tem estado esquecida pelas obras atuais. Mesmo por aquelas que mantêm um vínculo de referência com a arquitetura moderna brasileira. Se aproximando deste tema, o texto “Entre o concreto e o abstrato: as obras de Armando de Holanda Cavalcanti com Athos Bulcão” de Clarissa Carvalho e Silva, Adriana Freire de Oliveira e Guilah Naslavsky relembra, na discussão síntese x integração das artes, esta que  foi uma das características mais celebradas da modernidade da arquitetura no Brasil. Também traz à pauta questões que pertencem ao raciocínio abstrato-geométrico, que relaciona escala, espaço, adequação e, assim, discute composição. Matéria também esquecida no currículo de muitas escolas.

Em uma abordagem formal, funcional e contextual, o texto de Vanessa Calazans da Rosa, “Edifício da Biblioteca de Maringá e suas referências projetuais” analisa o hibridismo de uma obra de arquitetura no contexto da modernização das pequenas e médias cidades do interior do país, a partir da incorporação das ideias de arquitetura das metrópoles. Observa elementos e arranjos programáticos que organizam o edifício em questão e faz ver que o projeto da arquitetura tem necessariamente referências em outras obras cuja influência se adapta a enredos interpretados segundo demandas locais.

Esse mesmo raciocínio orienta a tema do artigo de Célia Regina Moretti Meirelles e Ricardo Herman Medrano “Félix Candela, paraboloides hiperbólicos e a arquitetura paulista: estudo de casos”. Estruturada a partir de estudos de casos, a trama põe em evidência a influência, no Brasil, em especial nas obras da chamada arquitetura brutalista, da obra do arquiteto espanhol imigrado para o México. A expressão das obras analisadas identificam o domínio técnico do concreto armado e seu bom emprego em cascas finas, aplicando as equações de membrana às formas geométricas reconhecidas como paraboloides hiperbólicos.

A expressão de uma obra é algo que compete ao processo de concepção. Na esfera acadêmica, é sempre oportuna a discussão que norteia o ensino do projeto, tido como um saber com papel prepoderante nos cursos de Arquitetura e Urbanismo. O artigo “O Ensino do Projeto de Arquitetura e Urbanismo no final do curso: uma reflexão propositiva para os Trabalhos Finais de Graduação”, de Sergio Moacir Marques, traz um olhar critico sobre a relação teoria e prática ou investigação e ação projetual, a partir de uma abordagem educativa. Discute questões didático-pedagógicas, amparadas no interesse da relação ensino-aprendizagem e à luz da formação do arquiteto.

 

A revista CadernosPós fala de Projeto.

Neste número, viaja da visão macro do Planejamento e do Urbanismo, e as possibilidades de organização das relações no espaço da cidade, à arquitetura que, por sua vez, se dispõe a desenhar as estruturas do viver. Mas nas diversas escalas se refere sempre ao Projeto que institui o raciocínio do arquiteto urbanista.

 

Maria Isabel Villac

Editora

 

Expediente

Equipe Editorial 

Maria Isabel Villac, Editora

Ana Gabriela Godinho Lima, Editora Temática

Maria Augusta Justi Pisani, Editora Temática

Charles C Vincent, Editor Executivo

 

Flávia Botechia, Assistente Editorial

Márcia Gregori, Assistente Editorial

Verônica Polzer, Assistente Editorial

 

Pareceristas Ad Hoc

Adriana Monzillo de Oliveira (FAAP)
Ana Maria Gadelho Albano Amora (UFRJ)
Ana Virgínia Carvalhães de Faria Sampaio (UEL)
Anália Maria Marinho de Carvalho Amorim (USP)
Carlos Almeida Marques (ULisboa)
Carolina de Rezende Maciel (Mackenzie)
Célia Helena Castro Gonsales (UFPEL)
Fábio José Martins de Lima (UFJF)
Geraldo de Souza Dias Filho (USP)
Gilda Collet Bruna (Mackenzie)
José Geraldo Simões Júnior (Mackenzie)
Lizete Maria Rubano (Mackenzie)
Luciana Nemer Diniz (UFF)
Luiz Guilherme Rivera de Castro (Mackenzie)
Maria Pronin (Mackenzie)
Morgana Maria Pitta Duarte Cavalcante (UFAL)
Nilce Aravecchia (USP)
Patrícia Pereira Martins (UNICAMP)
Pérola Felipette Brocanelli (Mackenzie)
Rafael Antônio Cunha Perrone (USP)

Sumário

Uma Discussão de Projeto - da Cidade à Arquitetura

José Geraldo Simões Junior
PDF
31

Direito à Cidade, Contradição e Desenvolvimento de uma Sociedade Democrática

Raquel Gomes Valadares, Ítalo Stephan
PDF
18
Laura Rocha de Castro, Silvia Mikami Pina
PDF
38
Eduardo Patricio da Silva
PDF
21

Sobre Projeto

Raquel Ramos Silveira da Mota, Eduardo Grala Cunha
PDF
25
Clarissa Carvalho e Silva, Adriana Freire de Oliveira, Guilah Naslavsky
PDF
23
Vanessa Calazans da Rosa, Renato Leão Rego
PDF
25
Célia Regina Moretti Meirelles, Ricardo Hernan Medrano
PDF
22
Sergio Moacir Marques
PDF
17