Poetizando após os sessenta: Uma experiência sobre o envelhecer

  • Camila Maria Chiquetto Hospital Maternidade Escola Doutor Mário de Moraes Altenfelder Silva Vila Nova Cachoeirinha
  • Claudia Stella University of British Columbia.

Resumo

A estigmatização do envelhecimento reduzindo-o às perdas se dá tanto pela desnaturalização do fenômeno quanto pela influência do ideário cultural sobre o envelhecimento que desconsideram seus aspectos subjetivos. O objetivo deste artigo é apresentar uma pesquisa participante em uma oficina de poesias, identificando se a leitura e a produção poéticas auxiliam na produção de novos sentidos sobre o envelhecer. Dos materiais produzidos nas oficinas bem como dos relatos descritivos dos encontros, emergiram as seguintes categorias de análise: a oficina enquanto espaço de apropriação, convívio e reflexão das participantes; sociedade e a possibilidade da postura ativa no envelhecimento; a apropriação do corpo no envelhecer: vivências e críticas ao modelo estético; memória: recordações e significados. Como resultado a oficina de poesias possibilitou um espaço de criação, partilha e reconhecimento social; retomada de memórias e reflexões acerca dos estigmas.

Palavras-chave: envelhecimento; psicologia do desenvolvimento; saúde mental; idosos; poesia.

Biografia do Autor

Camila Maria Chiquetto, Hospital Maternidade Escola Doutor Mário de Moraes Altenfelder Silva Vila Nova Cachoeirinha
Psicóloga pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2015), com especialização em saúde pela Residência Multiprofissional em Neonatologia (2018).
Claudia Stella, University of British Columbia.

Psicóloga, mestrado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2000) e doutorado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2005). Atualmente é Psicóloga Clínica - Consultório Particular e Member of Child Studies Lab - Psychology - University of British Columbia. 


Publicado
2020-04-14
Seção
Psicologia social