Toda mulher sonha em ser princesa? Problematizações sobre Escolas de Princesas

Sabrina Daiana Cunico, Alice Lopes Caldas Fagundes, Nathalia Amaral Pereira de Souza, Marlene Neves Strey

Resumo


Inúmeras conquistas podem ser resultado das lutas das mulheres por condições mais equânimes na sociedade. A máxima “lugar de mulher é onde ela quiser” tem ganhado cada vez mais força. No entanto, a ideia de que há uma essência feminina ainda está muito presente socialmente, o que faz com que determinadas escolhas sejam desvalorizadas e julgadas como não pertencentes a essa essência. Nesse contexto, o presente artigo, a partir de uma revisão narrativa da literatura, problematiza a existência de Escolas de Princesas, as quais se propõem a ensinar meninas a como ser e estar no mundo. Ao ensinarem comportamentos tradicionais associados ao recato, à beleza e às atividades domésticas, tais escolas ignoram a importância de se posicionar socialmente em um país onde milhares de mulheres sofrem preconceitos e violências diariamente, representando um retrocesso no que se refere às conquistas já tidas pelas mulheres que lutaram e ainda lutam por um mundo mais equânime.

Palavras-chaves: Gênero; mulheres; princesas; estereótipos; feminino.

 


Texto completo:

PDF PDF (English)


ISSN 1980-6906 (on-line)