Valores-raízes necessários ao trabalho cotidiano do(a) educador(a) social: reflexões a partir do pensamento de Paulo Freire

Rafael Domingues da Silva

Resumo


O educador Paulo Freire afirma não é possível viver sem sonho. Por outro lado, afirma que é preciso lutar para se obter um mínimo de transformação. Freire nunca utilizou o termo educador social em seus trabalhos. Todavia, pode-se encontrar no livro Educação e Mudança, especificamente o terceiro capitulo, de título ‘o papel do trabalhador social no processo de mudança’, obra publicada pela primeira vez no Brasil em 1979. Ao se fazer a leitura do capítulo mencionado, descobrimos a semente teórica e metodológica da Pedagogia social brasileira. Além disso, a Pedagogia social no país é, em grande parte, tributária do pensamento de Paulo Freire. Nos últimos anos esta influência tem renovado os debates a cerca do tema a nível nacional e internacional, com destaque na Europa. O objetivo deste artigo é destacar e analisar criticamente alguns valores localizados na produção educacional e filosófica de Freire. Tais valores foram nomeados pelo autor deste texto de valores-raízes, pois compreendemos que estes são fundamentais, alicerçadores da prática da educação libertadora. Seguindo este raciocínio, tais valores-raízes também estão intrinsecamente conectados com o trabalho do (a) educador (a) social no processo de mudança, a partir do momento em que este trabalhador social está comprometido com a construção de outra sociedade verdadeiramente democrática e menos desigual.


Palavras-chave


educador social, amor, utopia, transformação, diálogo.

Texto completo:

PDF