http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/issue/feed Revista Trama Interdisciplinar 2024-05-10T16:12:05-03:00 Suzana Coutinho / João Clemente tramamackenzie@gmail.com Open Journal Systems <p>ISSN: 21775672 (versão eletrônica)</p> <p>A Revista <strong>TRAMA Interdisciplinar</strong> é a revista científica semestral do Programa de Pós-Graduação em Educação, Arte e História da Cultura da Universidade Presbiteriana Mackenzie, atualmente qualificada pela CAPES como um<strong> períodico A3</strong> (Quadriênio 2017-2020).<br />A Revista está indexada nos seguintes indicadores: Latindex; LatinRev; EBSCO - Fuente Académica; TOC Premier; Periódicos Capes; Sumários.org; Rede Livre; Diadorim; CiteFactor; <a href="https://scholar.google.com/citations?hl=en&amp;user=hNQe_dMAAAAJ&amp;scilu=&amp;scisig=AMD79ooAAAAAYHRYeYtbaQu4LZwGHkXTmlrWh0ykVO9l&amp;gmla=AJsN-F6ls40Q-8Yg3X5f3-7QX7afBDUb7pW6KGl5y-9dgT2uL6VwuRVbycAMeVlLZg6SjH4rr4hlZCGIuIeUZFeHIAv0DGhvAmWHJNXQ_7WfeOYgn_V4jfE&amp;sciund=15286680112852300641">Google Acadêmico</a></p> http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/17034 Apresentação 2024-04-30T16:23:59-03:00 Cecília Almeida Salles cecilia.salles@gmail.com Isabel Orestes Silveira isabel.silveira@mackenzie.br Regina Lara Silveira Mello regina.mello@mackenzie.br 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/17049 Páginas Iniciais 2024-05-02T12:07:02-03:00 João Clemente de Souza Neto Joao.souza@mackenzie.br 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Isabel Orestes Silveira, Regina Lara Silveira Mello http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/17033 Editorial 2024-04-30T16:21:13-03:00 João Clemente de Souza Neto joao.souza@mackenzie.br 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 João Clemente de Souza Neto http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16360 Ponto de chegada, ponto de partida 2023-08-08T11:08:38-03:00 Edith Derdyk ederdyk@gmail.com <p>Ao escrever sobre um dos modos possíveis de perceber a natureza do ato criador, a escrita exige de mim um tempo para a reconstituição de uma memória que emerge das experiências já vividas. E a memória é vizinha de um imaginário a ser experienciado, o que torna este texto&nbsp; uma atualização dessas conjugações entre observação, memória e&nbsp; imaginário – ingredientes fundamentais que compõe a natureza do ato criador.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Edith Derdyk http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16209 Criatividade didática bússola da arte/educação não hegemônica 2023-06-12T11:25:43-03:00 Rosa Iavelberg rosaiave@usp.br <p>O presente artigo trata da criatividade didática, em moldes não hegemônicos, como aspecto da formação dos futuros(as) professores(as) da Educação Básica, em disciplinas de Licenciatura em Pedagogia. Na educação contemporânea, a criatividade é um potencial humano que diferencia genuínos professores(as) daqueles executores de tarefas e repetidores de ordens externas. Refletir sobre democracia, políticas não excludentes torna-se fator determinante na prática de ensino atual. A criatividade didática, necessária à vida profissional, se desenvolve, então, a partir da formação inicial de professores(as) de arte, ela tem uma dimensão política e social nas práticas educativas. Entre outros autores que fundamentam as concepções aqui trabalhadas estão: Isabel Alarcão, Paulo Freire e Pilar Aznar Minguet. Intencionamos sublinhar a criatividade em termos contemporâneos – envolvendo os conteúdos do campo da arte – como chave da aprendizagem dos futuros professores(as), no combate à educação meramente transmissiva. Assim, professores(as) têm a possibilidade de promover a autoria e a criação nos atos de aprendizagem dos seus alunos. Compreendemos que na escola há aprendizagem quando o aluno cria conhecimento novo para si e repercute aquilo que foi aprendido na sociedade.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Rosa Iavelberg http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16222 Sonoridade sertaneja : O perfil de Patativa do Assaré 2023-11-07T15:24:07-03:00 Antonio Iraildo Alves de Brito ira.brito@gmail.com <p class="Default" style="text-indent: 42.55pt; line-height: 200%;">Tendo como objeto formal a poesia de Patativa do Assaré, considera-se neste artigo a famosa premissa de Harry Pross (1971): “Toda comunicação começa no corpo e nele termina”. A frase como ponto de partida e de chegada da abordagem. O corpo como fonte e origem da comunicação. O corpo como meio ou tentáculo, capaz de criar vínculos. O corpo ainda como catalizador de ambientes comunicacionais, pelo simples fato de estar presente. O objetivo principal do artigo é compor o perfil do poeta, evidenciar seus gestos criativos, observando os aspectos constitutivos da performance, especialmente a gestualidade do corpo e o papel da voz, uma que toda a obra de Patativa está ancorada na oralidade. O poeta é voz. A voz como “lugar simbólico que não pode ser definido de outra forma que por uma relação, uma distância, uma articulação entre o sujeito e o objeto, entre o objeto e o outro” (ZUMTHOR, 2007, p. 83). Patativa seria “o eco de um tempo poético muito vivo desde a baixa Antiguidade” (ZUMTHOR, 1993, p. 73). O poeta se localizaria na mesma perspectiva de “muitos criadores, artistas e escritores (que) projetam nas misturas do mundo novas luzes que nem sempre as ciências sociais fornecem” (GRUZINSKI, 2001, p. 41). O método analítico-interpretativo leva em conta as indicações dos próprios poemas, dos encaixes e das mediações contidas neles (PINHEIRO, 2013).</p> <p class="Default" style="text-indent: 42.55pt; line-height: 200%;">&nbsp;</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Antonio Iraildo Alves de Brito http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16234 Instalações pianística: uma fresta de luz no processo criativo da performance pianística 2023-11-07T15:28:08-03:00 Anna Claudia Agazzi anna.agazzi@unesp.br <p class="p1">O artigo discorre sobre o processo criativo da interpretação pianística de obras do repertório erudito e apresenta a proposta<span class="Apple-converted-space">&nbsp; </span>interdisciplinar das "Instalações Pianísticas”enquanto exercício criativo. Discute conceitos do limite da interpretação e seus reflexos na pesquisa acadêmica e docência. Por fim, revela elementos do processo criativo e características interdisciplinares da obra "<em>Ignis Fatuus</em>” baseada no quarto movimento da Sonata Op.35 de Frederic Chopin que integrou a mostra “<em>Con Anima </em>Instalações Pianísticas” como resultado da pesquisa de Doutoramento em Artes no Instituto de Artes da Unesp.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Anna Claudia Agazzi http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16223 Intertextualidade e interatividade; usos nos processos criativos 2023-11-07T15:53:02-03:00 Rita de Cássia Domingues dos Santos rita.santos@ufmt.br Aline Wendpap Nunes de Siqueira aline.siqueira@ufmt.br <p>A pesquisa delineada neste texto, de maneira sucinta, surge do desejo das autoras em discorrer questões envolvendo processos criativos em diferentes linguagens, abarcando a interação, a interatividade e a intertextualidade no contexto contemporâneo, com recorte em torno das linguagens audiovisual e musical. O objetivo é discorrer sobre tais conceitos e verificar como eles contribuem para o processo criativo e a geração de sentidos em obras audiovisuais e musicais contemporâneas, sendo estruturado em quatro partes: 1) Intertextualidade e originalidade em expressões de linguagem artística; 2) A autoria na sociedade contemporânea; 3) <em>Kaiyô:</em> processos de criação e intertextualidade na postopera <em>Cartas para Yataro</em>; e 4) Interatividade e geração de sentidos no vídeo <em>Ocê qué brinca na FEB</em>? Foi utilizada metodologia qualitativa e interdisciplinar, trazendo contribuições da Semiótica, da Musicologia e dos Estudos Culturais, bem como das áreas da Comunicação e da Teoria Literária. Este artigo se justifica na medida em que conceitos pós-estruturalistas, embebidos de marxismo, relacionam o consumismo capitalista com o universo dos signos, revelando o fetichismo da mercadoria na lógica capitalista&nbsp; o que tem tornado as discussões das ideias sobre interação, e também sobre intertextualidade, mais complexas e, portanto, requer reflexões e reconsiderações frequentes, em razão dos múltiplos sentidos que daí advém. Diante do exposto conclui-se que tanto a intertextualidade como a interatividade se apresentam cada vez mais como ferramentas profícuas para fomentar as poéticas contemporâneas, salientando-se, desta forma, a necessidade da academia se debruçar mais sobre estes aspectos do fazer criativo.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Rita de Cássia Domingues dos Sa, Aline Wendpap Nunes de Siqueirantos, Aline Wendpap Nunes de Siqueira http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16220 Processos de criação em fotografia a partir dos documentos e arquivos fotográficos: uma visão de crítica de processo. 2023-11-08T16:16:31-03:00 Cassiano Mendes Cassiano.photo@gmail.com <p>Este artigo propõe como tema uma reflexão sobre aspectos dos processos de criação em fotografia a partir dos documentos e arquivos fotográficos presentes no documentário Contacts (2015). Esta discussão foi desenvolvida com base na abordagem dos processos de criação e cultura de base semiótica desenvolvida por Cecília Salles (2008).&nbsp;</p> <p>O artigo&nbsp;propõe apresentar discussões acerca dos arquivos de processos de fotógrafos, trazendo como principal discussão o arquivo fotográfico e a metodologia de pesquisa em processos de criação diante de uma publicação na qual o objetivo é o processo de criação. Um dos principais aspectos defendidos neste artigo é o aspecto acumulativo da fotografia e suas relações com diversos fotógrafos analisados no documentário Contacts (2015).</p> <p>Como análise aqui apresentada, em primeiro lugar compreender o próprio material como um arquivo de processo e como o pensamento de crítica processual de Cecília de Almeida Salles&nbsp;como metodologia da análise. Essas análises foram coletados da organização e publicação do DVD Contacts que foi lançado em três DVDS, nos quais foram apresentados trechos de imagens de arquivos comentados por seu autor. É a oportunidade de entender o processo de criação como um fenômeno comunicacional, analisando o conteúdo em seu próprio desenvolvimento criativo. Em segundo lugar apresentar alguns aspectos recorrentes nos discursos apresentados no material no qual pode se levantar questões processuais voltadas à fotografia.</p> <p>A hipótese aqui apresentada é a construção do pensamento fotográfico que se sistematiza como redes de conhecimentos, em que o fotógrafo ganha o papel de mediador com seu ambiente. As marcas deixadas nos contatos indicam aspectos decisórios para a criação, portanto a intenção é olhar para esse objeto, considerando a criação como um movimento contínuo, onde cada vestígio deve ser analisado em seu contexto. Com o auxílio da metodologia da crítica de processo e com a organização e mapeamento dos arquivos. O principal foco é a edição como recurso poético. Buscar contribuir tanto para as pesquisas de processos como para as discussões sobre novos rumos da fotografia contemporânea.&nbsp;&nbsp;</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Cassiano Mendes http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16168 Ciência e audiovisual: o processo criativo prático-teórico de roteirização, montagem e edição da série documental Eu, Mutum 2023-08-30T14:58:19-03:00 Tatiana Maria Araujo tatinikil@gmail.com Hylio Laganá Fernandes hylio@ufscar.br <p>Este artigo apresenta o processo criativo de roteirização, montagem e edição da trilogia documental <em>Eu,Mutum</em>, que mostra a trajetória de (re)existencia do mutum-de-alagoas (<em>Pauxi mitu</em>). Os documentários de curta-metragem que compoem a série têm o objetivo de promover a Educação Ambiental (EA) e a Divulgação Científica (DC) do projeto ARCA do CEP e registrar um importante marco para a ciência mundial – a reintrodução do extinto mutum-de-alagoas ao seu local de origem, o Centro de Endemismo Pernambuco (CEP). O mutum-de-alagoas é uma das aves mais raras do planeta que sobreviveu apenas em criadouro e foi reintroduzido ao CEP em 2019, depois de 40 anos extinto da região, através de um esforço coletivo de pesquisadores, criadores e órgãos públicos e privados. O CEP é um território da Mata Atlântica nordestina brasileira que sofre com altos níveis de degradação e considerado um dos ambientes mais ameaçados do mundo. Os vídeos que compõem a série foram captados durante o processo inédito de reintrodução. Além da práxis criativa o texto revela como os estudos interdisciplinares nos campos da comunicação, educação e arte contribuíram no processo criativo da série. E faz uma reflexão sobre como a linguagem audiovisual contemporânea e suas técnicas e estéticas artísticas podem contribuir para os processos comunicacionais e pedagógicos de DC e EA.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Tatiana Maria Araujo, Hylio Laganá Fernandes http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16167 Processos de criação na arte e na ciência: uma abordagem relacional rumo a produção de conhecimento 2023-11-07T16:06:30-03:00 Maria Gorzillo regina_gorzillo@hotmail.com <p>Este texto propõe reflexões sobre os processos de criação de artistas e cientistas acerca das relações entre arte e ciência, bem como possíveis contribuições para os modos de produzir conhecimento. Os debates acerca da relação arte e ciência tem se ampliado à medida em que se busca entrelaçar distintas áreas do saber. Sendo assim, para empreender argumentações acerca destas intersecções, são analisados os processos de Olafur Eliasson, artista visual dinamarquês-islandês em parceira com o geólogo groenlandês Minik Rosing, além do projeto <em>Experimenting, Experiencing, Reflecting</em> (EER), uma colaboração entre ciência e arte, liderada pelo artista Olafur Eliasson e pelo cientista Andreas Roepstorff da Universidade de Aarhus, Dinamarca, e,&nbsp; um projeto na área da ciência denominado <em>Global Citizen Deliberation on Genome Editing</em>. A partir destas amostras são apontados caminhos relacionais entre arte e ciência, tendo como elementos norteadores as especificidades dos procedimentos de criação destes artistas e cientistas. A abordagem metodológica se ancora na crítica de processos e na criação como rede em construção, como elaborado por Cecilia Almeida Salles (2013,2017), além das contribuições do professor e pesquisador das ciências biológicas Nélio Bizzo (2012).</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Maria Gorzillo http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16166 Aspectos processuais da instalação The Dinner Party 2023-11-07T16:09:17-03:00 Fabíola Fraga Nunes fragafabiola02@gmail.com Aparecido José Cirillo josecirillo@hotmail.com <p>Quando mencionamos obras de arte de grandes dimensões, principalmente expostas em museus mundo a fora, é improvável não surgir o nome da Artista Judy Chicago e sua monumental obra The Dinner Party. Não obstante as questões já amplamente mencionadas em artigos, em trabalhos a respeito dessa instalação e sua imensa importância no que diz respeito a questão do feminismo, além da homenagem a tantas mulheres com o jantar, essa abordagem ousa se desvincular, ainda que momentaneamente, da situação representativa da homenagem propriamente dita, para mergulhar na concepção desse imenso mosaico artístico que contou com o trabalho de dezenas de profissionais da Arte nas suas mais diversas especialidades, assim como, de alguma forma, valorizar esse trabalho hercúleo e recheado de significância, inclusive e principalmente no arcabouço técnico envolvido. The Dinner Party, como veremos a seguir, ultrapassa o monopólio artístico de uma só técnica, estabelecendo a democratização em sua realização, assim como o mutuo aprendizado entre os diversos profissionais envolvidos.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Fabíola Fraga Nunes, José Cirillo http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16162 O quadrinho inacabado de Júlio Shimamoto 2023-09-20T15:28:17-03:00 Alberto Pessoa albertoricardopessoa@gmail.com Isaac Newton Dantas da Costa Luz isaacnluz@gmail.com Fernando de Paiva Ferreira Junior cynic_focus@hotmail.com <p><span style="font-weight: 400;">O objetivo do artigo é refletir acerca das marcas do processo criativo de Júlio Shimamoto, com base nos estudos da Crítica do Processo</span><span style="font-weight: 400;">. Shimamoto, começa a publicar em 1957 e possui em sua obra a experimentação de técnicas, narrativas e literacia visual, o que o torna um quadrinista de fronteira com diversas outras expressões artísticas. Acompanhamos o autor de histórias em quadrinhos com uma série de e-mails (2019 - 2023), recebemos seus originais para análise por intermédio do próprio autor e por fim, adquirimos uma grande parte da sua obra publicada por editoras comerciais para termos uma base cronológica de publicação. Neste artigo propomos a análise do quadrinho “Sansão”, com base nos manuscritos de produção e comentários do autor. A história em quadrinhos escolhida se deve ao fato de ser uma das mais recentes do autor de 84 anos e que apresenta uma crítica do processo comentada pelo próprio autor, que, agregado à nossa pesquisa de sua obra, nos ajuda a entender este processo contínuo e inacabado de formação de um autor, que mesmo em um país com poucas políticas culturais de incentivo às histórias em quadrinhos conseguiu se desenvolver e criar uma poética visual fundamental para as outras gerações de quadrinistas, principalmente para o gênero fantástico, com ênfase no terror. Deste modo, o percurso do texto compreende breve conceitualização da Crítica do Processo, introdução ao artista Shimamoto e análise técnica e conceitual de seu quadrinho “Sansão”.</span></p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Alberto Ricardo Pessoa, Isaac Newton Dantas da Costa Luz, Fernando de Paiva Ferreira Júnior http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16148 Memória e montagem em um projeto de quadrinhos 2023-11-07T16:15:59-03:00 Carlos Felipe Luvizotto felipeluvizotto@gmail.com Gisela Belluzo de Campos camposbelluzzo@gmail.com <p style="font-weight: 400;">Este artigo apresenta o processo de construção de uma história em quadrinhos que narra um acontecimento histórico na cidade de Cerquilho, interior de São Paulo, utilizando conceitos de montagem cinematográfica. O projeto leva em consideração a premissa de que a rememoração presume uma montagem mental e de que a história é a partilha de memórias que foram definidas como dignas de serem registradas. A partir de registros textuais e fotográficos e da percepção e memória de um dos autores, a pesquisa levantou a hipótese de que a montagem de diferentes tipos de registros em uma linha do tempo poderia acrescentar diferentes pontos de vista à história oficial. Para isso, foram definidos e apresentados conceitos de memória e rememoração e de montagem bem como o processo construtivo da história em quadrinhos.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Carlos Felipe Luvizotto, Gisela Belluzo de Campos http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16158 A cidade como laboratório para as experiências artísticas de Eduardo Srur 2023-11-07T16:14:11-03:00 Michael Santos Silva michaelsjc.silva5@gmail.com Juliana Marcondes Bussolotti julianabussolotti@gmail.com <p>Este trabalho teve como escopo refletir sobre a arte contemporânea a partir das intervenções urbanas do artista Eduardo Srur. Para tanto, utilizou-se como fundamento as concepções de Pallamin (2000), Krauss (2008), Salles (2009), Dewey (2010), Mosé (2012), entre outros expoentes da área. Metodologicamente, tratou-se de uma pesquisa de caráter qualitativa, com base em um levantamento bibliográfico acerca da trajetória do artista Eduardo Sru, assim como um formulário respondido via áudio pelo próprio artista. Ao analisar as produções artísticas de Eduardo Srur, o estudo evidenciou a relação entre a arte e a cidade numa perspectiva social e cultural da arte contemporânea brasileira, visto que as produções apresentam uma dimensão ambiental e política, em que o artista convida o público a repensar o cotidiano a partir daquilo que o incomoda. A implicação deste estudo foi em destacar que as intervenções Eduardo Srur são de caráter universal e local ao mesmo tempo, em que difunde mensagens diretas e com engajamento social, a partir das interferências visuais criadas na arquitetura da cidade.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Michael Santos Silva, Juliana Marcondes Bussolotti http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16127 Processos criativos em diversas áreas- uma relação com a teoria dos 7c's da criatividade 2023-08-30T14:47:54-03:00 Éllen Martins Salvador ellenmartins.psico@gmail.com Solange Muglia Wechsler wechsler@puc-campinas.edu.br Karina Nalevaiko da Rocha kanalevaiko@gmail.com <p>A criatividade é importante tanto em nível pessoal quanto profissional, podendo ajudar a encontrar soluções para problemas, criar projetos, a estimular a imaginação e a curiosidade. Este artigo explora o papel dos processos criativos em diversas áreas, como arte contemporânea, dança, audiovisual, design, fotografia, administração, engenharia e gastronomia, e sua relação com a teoria dos 7 C’s da criatividade: Criadores (a pessoa que cria), Criação (o processo criativo), Colaborações (cocriação), Contextos (o ambiente), Criações (o produto criativo), Consumo (a adoção de produtos) e Currículos (o desenvolvimento e aprimoramento da criatividade). A partir de uma revisão bibliográfica, foram identificados exemplos de como cada um dos 7 C’s está presente em diferentes áreas, bem como a interferência de cada um destes construtos nos processos criativos delas. Conclui-se que as diferentes dimensões abordadas pelo 7 C's podem auxiliar na compreensão e aprimoramento dos processos criativos, facilitando o desenvolvimento de novas perspectivas e produtos inovadores.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Éllen Martins Salvador, Solange Muglia Wechsler, Karina Nalevaiko da Rocha http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16109 Criatividade e Materialidade: prática criadora em uma disciplina da Pós-graduação 2023-09-20T15:15:32-03:00 Edileusa Borges Porto-Oliveira ebpoliveira@gmail.com Stela Maris Sanmartin stelasanmartin@yahoo.com.br Suellen Cristina Rodrigues Kotz suellencrp5@gmail.com Asdrúbal Borges Formiga Sobrinho asdru_bal@uol.com.br Cristiano Hoppe Navarro cristianohoppenavarro@gmail.com <p>A relação entre o material e a mente é complexa e desafiadora. É necessário entender não somente as evidências da influência mútua entre eles, mas também os modos como a mente se estende, por meio do corpo, para ter contato com o material. Os objetivos do presente estudo foram: compreender a criatividade em contextos de ação e com foco em materialidades, sob o prisma de Christopher Bardt; e identificar a potencial influência dos materiais, sobre processos criativos. Participaram do estudo cinco integrantes de um grupo de pesquisa, dedicado à investigação da criatividade. Todos cursavam a disciplina Estudos Laboratoriais: criatividade e horizontalidade, oferecida no segundo semestre de 2022, no Programa de Pós-graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Escolar, da Universidade de Brasília. Para discussão do processo criativo, com base em ação mental ou imaginação sobre um material, selecionamos uma atividade prática realizada durante o curso da disciplina. A proposta previu duas etapas, um relaxamento e a criação de texto e imagem a partir de um objeto escolhido por cada participante. A análise foi construída sobre os relatos orais, as produções escritas e os desenhos elaborados pelos participantes. Os resultados indicaram que: o relaxamento pode facilitar o processo criativo; a experiência com o material ativa a memória, a imaginação e a criatividade; a materialidade muda a partir da mediação afetiva; a ação criadora sofre influência da imaginação material.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Edileusa Borges Porto Oliveira, Stela Maris Sanmartins, Suellen Cristina Rodrigues, Kotz, Asdrúbal Borges Formiga Sobrinho, Cristiano André Hoppe Navarro http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/16160 Educação e Música: um olhar sobre a implantação do protestantismo no Norte de Minas Gerais (1908-1962) 2023-11-07T16:30:56-03:00 José Normando Gonçalves Meira meirajng@gmail.com Shirley Patrícia Nogueira de Castro e Almeida shirley.almeida@unimontes.br <p>Este trabalho teve como mote a Educação por meio da música, focando o olhar sobre o movimento de implantação do protestantismo no norte de Minas Gerais, no período de 1908, quando efetivamente iniciaram as atividades protestantes na região, a 1962, quando a implantação foi considerada consolidada com a organização do Presbitério Norte de Minas. A Música, marcada por diferentes ritmos, orquestrada por diversos instrumentos e compartilhada por várias vozes enseja variados processos de aprendizagem, sendo o religioso um deles. Nesse artigo, o objetivo é analisar a importância da música para a implantação e consolidação do Protestantismo no Norte de Minas Gerais. A plataforma teórica foi construída por meio de pesquisa bibliográfica, tendo autores como Buriti e Barros (2016), Burke (2010), Costa (2011), Duarte (2011), Durant (1999), Figueiredo (2002, 2011), Mendonça (2017), Modulo (2006) e Van Til (2010) como referências. Também foram utilizadas fontes primárias, orais e documentais, que permitiram a análise do objeto proposto. É possível concluir que a música foi um recurso de fundamental importância para a execução do projeto de reforma religiosa empreendido pela referida denominação protestante no Norte de Minas.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 José Normando Gonçalves Meira, Shirley Patrícia Nogueira de Castro e Almeida http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/15899 Abordagem triangular e gravura relacional desafios e possibilidades no ensino de arte na educação básica 2023-11-07T16:36:08-03:00 Alessandra Alves de Fontes Rodrigues alessandraartes@gmail.com José Maximiano Arruda Ximenes de Lima max@ifce.edu.br <p>As relações entre a Abordagem Triangular e a Gravura Relacional é o tema deste artigo. Ele tem como objetivo tecer reflexões acerca dos desafios e das possibilidades de se trabalhar a Abordagem Triangular com a Gravura Relacional, como estratégia para que o estudante seja capaz de pensar criticamente sobre a arte, exercite sua capacidade criativa, desenvolva uma alfabetização visual e estética e tenha um entendimento mais amplo da importância da arte na sua vida. Para alcançar esse objetivo, partiu-se do seguinte questionamento: Quais os desafios e as possibilidades de se trabalhar a Abordagem Triangular com a Gravura Relacional, em aulas de Arte, na Educação Básica? Para responder a essa pergunta foi feita uma pesquisa bibliográfica, baseada nos seguintes referenciais teóricos: Barbosa (2010), Abordagem Triangular; Lima (2021), Gravura Relacional; Bourriaud (2009), Estética Relacional. Os resultados alcançados evidenciam a importância de se trabalhar a Abordagem Triangular com a Gravura Relacional, por meio de aplicativos de criação de imagens, contribuindo para que a Leitura da Obra de Arte, o Fazer Artístico e a Contextualização sejam trabalhados dentro de realidades vivenciadas pelos estudantes e possam proporcionar a inclusão de alunos com Necessidades Educacionais Específicas (NEE) nas aulas de Arte. Sendo assim, a Abordagem Triangular e a Gravura Relacional influenciam diretamente no processo de ensino/aprendizagem em Arte, na Educação Básica, incluindo o contexto relacional, social e emocional do aluno.</p> 2024-05-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Alessandra Alves de Fontes Rodrigues, Dr. Maximiano Arruda