O artista que queremos e a avaliação que propomos. Uma Análise sobre a formação do Curso de Artes Visuais da Unicamp e seus processos de seleção específica.

Autores

  • Sylvia Furegatti Instituto de Artes / Unicamp
  • Edson do Prado Pfutzenreuter Instituto de Artes / Unicamp

Palavras-chave:

Artes Visuais, UNICAMP, Prova de Habilidades Específicas

Resumo

Este artigo apresenta uma reflexão sobre a avaliação específica do curso de Graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes da Unicamp, como parte fundamental do vestibular nacional organizado pela Universidade. Para tanto, propõe o levantamento de informações e agentes constitutivos da história do Instituto de Artes, bem como as diretrizes adotadas pela organização do grupo de professores-artistas fundadores do Curso e de seu Departamento, os quais implantaram essa prova considerada importante até os dias de hoje. Buscando compreender como a Universidade atua, interfere e forma o artista visual de hoje, partimos do recorte sobre este processo avaliativo para discutir sua relação com a formação dos alunos do curso. Outros elementos relevantes são a vocação multicultural inicial da Unicamp e o projeto do Instituto de Artes de uma formação universitária artística contemporânea, de tendência internacionalizante.

Biografia do Autor

Edson do Prado Pfutzenreuter, Instituto de Artes / Unicamp

Possui graduação em Educação Artística - Artes Plásticas pela Universidade de São Paulo (1985), mestrado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1992) e doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997) Trabalhou em várias instituições de ensino superior em São Paulo e atualmente é professor do Instituto de Artes da Unicamp - Universidade Estadual de Campinas, onde leciona disciplinas relacionadas ao design, serigrafia e metodologia de pesquisa em artes visuais. Tem ministrado disciplinas da pós-graduação voltadas para o pensamento sobre a imagem e a metodologia de pesquisa, nesta última existe a preocupação de levantar questẽos sobre como conduzir as pesquisas em arte, tanto as voltadas para investigação histórica e teórica quanto aquelas para investigação de poéticas visuais. Tem assumido diversas funções administrativas no Instituto de Artes: cinco anos como coordenador do curso de graduação em artes Visuais, licenciatura e bacharelado; 2 anos como Chefe do Departamento de Artes Plásticas e 2 anos como Coordenador do Programa de Pós-graduação de Artes Visuais. Atualmente exerço mais uma vez a função de chefe do departamento de Artes Plásticas. Sua pesquisa está voltada para os estudos de processos criativos envolvidos na criação de imagem, tendo por base a abordagem conhecida como crítica genética, em especial aquela que tem sua base conceitual no pensamento de Charles Sanders Peirce. Os trabalhos de graduação, mestrado e doutorado que orienta, relacionam-se com essa área. Atualmente ocupa a presidência da APCG - Associação de Pesquisadores de Crítica Genética, sendo editor da revista Manuscrítica que é a revista dessa associação. Atendendo a uma demanda que identificamos na região de Campinas é responsável pela criação e atualmente coordena o curso de Especialização em Design Gráfico oferecido através da EXTECAMP - Escola de Extensão Da Unicamp.

Referências

Livros, Revistas e Sites
ALVARENGA, Valéria Metroski e SILVA, Maria Cristina da Rosa Fonseca da, Formação Docente em Arte: percurso e expectativas a partir da lei 13.278/16. Educação & Realidade [online]. 2018, v. 43, n. 3 , pp. 1009-1030. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/2175-623674153>. 09 Abr 2018. Acesso em: 28/01/2022.
BUFFA, Ester e PINTO, Gelson Almeida. Arquitetura e Educação: campus universitários brasileiros. São Carlos: Edufscar, 2009.
BARBOSA, Ana Mae. O ensino das Artes Visuais na Universidade. Estudos Avançados [online]. 2018, v. 32, n. 93 , pp. 331-347. Disponível em: <https://doi.org/10.5935/0103-4014.20180048>. Acesso em: 20/Janeiro/2022.
DACO Departamento de Artes Corporais. Curso de Graduação em Dança. Bacharelado e Licenciatura. 33 anos de história. Disponível em: https://hosting.iar.unicamp.br/daco/historico/ Acesso em: 27/01/2022.
DEPARTAMENTO de Artes Plásticas. Site oficial do Instituto de Artes da Unicamp. Disponível em:https://www.iar.unicamp.br/departamento-de-artes-plasticas/ Acesso em: 22/02/2022.
DEPARTAMENTO de Artes Cênicas. Site oficial do Instituto de Artes da Unicamp. Disponível em: https://www.iar.unicamp.br/departamento-de-artes-cenicas/ Acesso em: 22/02/2022.
FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque. A universidade no Brasil: das origens à Reforma Universitária de 1968. Educar em Revista, [S. l.], p. 17–36, 2006. DOI: 10.1590/S0104-40602006000200003.
GARBOGGINI, Flavia B. O potencial dos espaços abertos na qualificação urbana: uma experiência piloto na Cidade Universitária Zeferino Vaz. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, 2012.
GOMES, Eustáquio e CARO, Bernardo. Caro, ponto de união entre Espanha e Brasil. Jornal da Unicamp, 373, 24 a 30 de setembro de 2007. Disponível em: https://www.unicamp.br/unicamp_hoje/ju/setembro2007/ju373pag12.html Acesso em: 26/01/2022
MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. 5a edição ed. [s.l.] : Editora Sulina, 2005.
ORTIZ, Mario e BUENO, Maria Lúcia. Cultura Audiovisual e Arte Contemporânea. São Paulo em Perspectiva, 15. 3, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/spp/a/dCbz7fBDzKngHpmMHwjNT5f/?lang=ptAcesso em: 28/02/2022.
PERRENOUD, Philippe. Construir as Competências Desde a Escola. 1a edição ed. Porto Alegre, RS: Penso, 1999.
RONCA, Paulo Afonso Caruso; TERZI, Cleide Do Amaral. A prova operatória: contribuições da psicologia do desenvolvimento. [s.l.] : EDESPLAN, 1991.
REY, Sandra. O que significa, hoje, ser artista e o que se espera da formação do artista? MARCELINA. Revista do Mestrado em Artes Visuais da Faculdade Santa Marcelina, [S. l.], v. 4, p. 17–28, 2010.
SIARQ #Memóriasdocampus. Disponível em: https://www.siarq.unicamp.br/difusao/exposicoes/mostra-unicamp-recortes-de-uma-trajetoria/memoriasdocampus Acesso em: 21/02/2022
SOGABE, Milton. O ensino de artes e a formação do artista na academia. MARCELINA. Revista do Mestrado em Artes Visuais da Faculdade Santa Marcelina, [S. l.], v. 4, p. 29–38, 2010.
SUGIMOTO, Luiz. O CORPO como instrumento da alma. Aos 60 anos, Marília de Andrade volta a se exibir nos palcos e prepara livro autobiográfico. Jornal da Unicamp, ed. 338. pag. 11, 25/set a 01/out, 2006. Disponível em: https://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/setembro2006/ju338pag11.html
VIEIRA, Jorge Albuquerque. Teoria do conhecimento e arte: formas de conhecimento: Arte ciência uma visão a partir da complexidade. Fortaleza: Expressão Gráfica Editora, 2006.
UNICAMP. História 1960-2010. Disponível em: https://www.unicamp.br/unicamp/historia Acesso em: 07/01/2022.
UNICAMP, Relatório final de avaliação institucional UNICAMP 2014-2018. Coordenadoria Geral da Universidade. Campinas, SP: BCCL/UNICAMP, 2020. Disponível em: https://www.cgu.unicamp.br/assets/docs/cgu/avaliacao/Avalia%C3%A7%C3%A3o_Institucional_2014-2018_Final_v6.pdf Acesso em: 10/01/2022.

Entrevistas:
MATOS, Silvia. Entrevista concedida aos autores do artigo. Via telefone. Campinas, 13/01/2022.
GILBERTTO Prado. Entrevista concedida aos autores do artigo. Vídeo Entrevista via Plataforma Zoom. Gravada, 01:40:25. 17/01/2022.
ALMOZARA, Paula. Entrevista concedida aos autores do artigo. Via telefone. Campinas, 11/01/2022.
PERILLO, Danilo Roberto. Entrevista concedida aos autores do artigo. Gravação em áudio. Campinas, 11/01/2022.

Downloads

Publicado

2022-12-23

Como Citar

Furegatti, S., & do Prado Pfutzenreuter, E. (2022). O artista que queremos e a avaliação que propomos. Uma Análise sobre a formação do Curso de Artes Visuais da Unicamp e seus processos de seleção específica . Revista Trama Interdisciplinar, 13(2), 216–235. Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/15128