Arte em rede: registros poéticos da quarentena

Autores

  • Fabiane Pianowski Universidade Federal do Rio Grande - FURG https://orcid.org/
  • Daniel Moraes Botelho Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Palavras-chave:

e-mail art, artes visuais, pandemia, a/r/tografia

Resumo

Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, muitos projetos tomaram as redes sociais como um espaço colaborativo de intercâmbio e divulgação artística em um revival da mail art, surgida nos anos sessenta, e adaptada a partir dos anos noventa como E-mail art. Este texto traz reflexões sobre a arte produzida na quarentena, em especial em relação ao projeto Miradas Enredadas | Networking Glances. Estes projetos artísticos virtuais de memória e registro pandêmico, além de interesse para a história e crítica da arte, podem ser pensados pedagogicamente em propostas de ensino e aprendizagem para diferentes áreas de conhecimento e metodologicamente como uma forma de coleta de dados sensíveis de interesse às pesquisas baseadas em arte, como a a/r/tografia.

Referências

BAIGORRI, L.; CILLERUELO, L. Net.art: una aproximación crítica a la primera década de arte online. Madri: Bromaria, 2005.
BELISDON, D. A/r/tografia como Metodologia e Pedagogia em Artes: uma introdução. In: DIAS, B.; IRWIN, R. (orgs.). Pesquisa Educacional Baseada em Arte: A/r/tografia. Santa Maria: Editora UFSM, 2013, p. 21-26.
BORGES BEZERRA, D.; CHAGAS OLIVEIRA, P. Fenômenos memorialísticos online em tempos de pandemia: entre o registro e a memorialização de um evento traumático. Museologia & Interdisciplinaridade, [S. l.], v. 10, n. Especial, p. 93–116, 2021. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/museologia/article/view/36030. Acesso em: 10 jan. 2022.
FREIRE, C. Poéticas do Processo: arte conceitual no Museu. São Paulo: Iluminuras, 1999.
HAN, B-C. A salvação do belo. Petrópolis: Vozes, 2019.
IRWIN, R. A/r/tografia. In: DIAS, B.; IRWIN, R. (orgs.). Pesquisa Educacional Baseada em Arte: A/r/tografia. Santa Maria: Editora UFSM, 2013, p. 27-35.
LEMOS, A. Cibercultura como território recombinante. In: TRIVINHO, Eugênio; CAZELOTO, Edilson (org.). A cibercultura e seu espelho. São Paulo: Abciber; Instituto Itaú Cultural, 2009. p. 38-46. Disponível em: http://abciber.org.br/publicacoes/livro1/sumario/. Acesso em: 03 jan. 2022.
PAUL, C. A net art é colecionável - Curadora do Whitney Museum fala sobre a inclusão da arte digital com novos modelos de colecionismo e práticas sólidas de preservação em entrevista a Nina Rahe. Select, ano 09, nº 47, jun/jul/ago 2020. Disponível em: https://www.select.art.br/christiane-paul-a-net-art-e-colecionavel. Acesso em: 10 de janeiro de 2021.
ROLNIK, S. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. São Paulo: Estação Liberdade, 1989.
RÖDER, K. Topology and Functionality of the Mail Art Network and its specific significance for Eastern Europe between 1960 and 1989. Colônia: Salon Verlag, 2008.
WELCH, C. (org.). Eternal Network: A Mail Art Anthology. Calgary: University Of Calgary Press, 1995.

Downloads

Publicado

2022-12-23

Como Citar

Pianowski, F., & Moraes Botelho, D. (2022). Arte em rede: registros poéticos da quarentena. Revista Trama Interdisciplinar, 13(2), 132–144. Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/15117