Juventudes e interpenetração de espaços formativos

  • Wania Regina Coutinho Gonzalez Professora adjunta do Programa de Educação e Cultura da Estácio e da UERJ/FEBF.
Palavras-chave: Educação não formal, Organizações não governamentais, Cultura política Juventudes, Escola

Resumo

O texto aborda as potencialidades da formação de uma nova cultura política, nos jovens em situação de vulnerabilidade social, a partir da interpenetração dos espaços formativos, tendo como foco as ações educativas de duas Organizações não governamentais (ONGs) cariocas. A organização do texto foi estruturada da seguinte maneira: inicialmente, é tratada a interpenetração dos espaços educativos que o crescimento da educação não formal e a complexidade da nossa sociedade suscitam. A seguir, são tecidas algumas reflexões sobre o conceito de juventudes e as  dificuldades dos jovens na educação formal, posteriormente é mencionado  os objetivos dos espaços não formais de ensino investigados com seus respectivos projetos educacionais: Bola para Frente e Rede de Desenvolvimento Humano (REDEH)  e por fim dialogamos com as entrevistas realizadas sobre as seguintes temáticas: cultura juvenil, os pontos fracos da escola, a relação entre a ONG, a escola e a relação entre o jovem e o trabalho. Os resultados da pesquisa revelaram que a educação formal poderia ser mais atuante no incentivo a continuidade dos estudos pelos jovens com os quais a frequentam e que o uso dos recursos tecnológicos digitais deveriam ser um elemento aglutinador de aproximação entre a cultura dos adultos e a cultura juvenil. Por outro lado as ONGs investigadas incentivam a permanência dos jovens na educação formal, dialogam com os conteúdos trabalhados nas escolas e vislumbram a possibilidade de transformação social dos envolvidos nas suas ações educativas.

Biografia do Autor

Wania Regina Coutinho Gonzalez, Professora adjunta do Programa de Educação e Cultura da Estácio e da UERJ/FEBF.
Graduada em Sociologia e Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000).  Possui mais de vinte e cinco anos de experiência no Magistério do Ensino Superior. Ingressou na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, em abril de 2008, mediante aprovação em concurso público, na área Gestão de Sistemas Educacionais, Categoria Adjunto. A partir de 2009 passou a compor o corpo do docente do Mestrado em Educação e Cultura das Periferias Urbanas da UERJ/ FEBF, onde orientou 6 dissertações. Integra o corpo docente do Mestrado Acadêmico em Educação e Cultura Contemporânea da Universidade Estácio de Sá - UNESA, onde orientou oito dissertações de mestrado na linha de pesquisa: Trabalho, Meio Ambiente e Educação, doze na linha de pesquisa Políticas Públicas e Gestão, 1 tese de Doutorado na Linha Tecnologias de Informação e Comunicação nos Processos Educacionais e 2 teses de Doutorado na Linha de Políticas, Gestão e Formação de Educadores. Ministrou as disciplinas: Pesquisa em Educação, Políticas Educacionais dos anos de 1990, O modelo de competências na Educação Profissional, Pesquisa em Educação e Questões Teóricas, Epistemológicas da Pesquisa em Educação e Epistemologia da pesquisa em políticas educacionais. Atualmente integra a linha de pesquisa Políticas Públicas e Gestão, faz parte do corpo docente do Doutorado e exerceu a Coordenação Adjunta do Programa no período de janeiro de 2009 a janeiro de 2011. Possui experiência no campo da Educação, com ênfase em Políticas Educacionais atuando principalmente nos seguintes temas: gestão escolar, competências, educação ambiental, qualificação profissional, trabalho e educação . Desenvolveu a pesquisa Educação e sustentabilidade:ações do terceiro setor no Rio de Janeiro com apoio da FAPERJ. Publicou oito livros, duas coletâneas e vinte e três artigos em periódicos nacionais e dois em periódicos internacionais. Integrou o Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes).LÍder do grupo de pesquisa Políticas públicas e gestão. 
Publicado
2019-08-30
Como Citar
Gonzalez, W. R. C. (2019). Juventudes e interpenetração de espaços formativos. Revista Trama Interdisciplinar, 9(2). Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/11706