Avaliação do ler e do escrever de surdos pela língua brasileira de sinais

Veronica Aparecida Pereira, Ana Cláudia Moreira Almeida-Verdu

Resumo


Resumo: A utilização da Língua Brasileira de Sinais (Libras) na educação dos surdos é assegurada por lei, mas sua adoção em políticas educacionais requer uma adequação nas modalidades de estímulo e de resposta adotadas. Esse estudo buscou caracterizar o desempenho do ler e do escrever em quatro alunos surdos, usuários de Libras em fase de alfabetização. A avaliação ocorreu por meio de tarefas de seleção, sinalização e escrita, por um procedimento de avaliação e de ensino usualmente adotado com crianças ouvintes. Os resultados replicaram dados observados com crianças ouvintes: satisfatório para as relações de cópia e discriminação de identidade entre figuras e estímulos gráficos; dificuldades nas relações de leitura e ditado. Os dados evidenciam que os alvos de investimento para a programação de condições de ensino do ler e do escrever em aprendizes surdos requerem adequações mais em relação à modalidade da comunicação do que em procedimentos de ensino. Palavras?chave: leitura; escrita; Libras; surdez; educação especial.

 


Texto completo:

PDF


ISSN 1980-6906 (on-line)