Impairment e PCLD: Convergência entre a IFRS 9 e Resolução 2.682/99 (BACEN)

  • Mariana Nascimento Ferreira Mackenzie
  • Ana Lúcia Fontes de Souza Vasconcelos Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • OCTAVIO RIBEIRO MENDONCA NETO Universidade Presbiteriana Mackenzie
Palavras-chave: Convergência, IFRS 9, Impairment, PCLD, Resolução 2.682/99

Resumo

Este artigo apresenta uma comparação entre a IFRS 9 Instrumentos Financeiros (internacional) e a Resolução CMN 2.682/99 (BACEN), em relação às perdas por redução ao valor recuperável de ativos financeiros. Com objetivo de propor aos normatizadores um ajuste na norma nacional, a fim de alinhá-la aos padrões internacionais e elaborar argumentos que justifiquem esse alinhamento ou a adoção da IFRS 9 pelo Banco Central do Brasil, foi realizada uma pesquisa exploratória com análise documental das duas normas. O resultado mostrou que ambas estão alinhadas aos padrões e metodologias de risco estabelecidos pelo Acordo da Basiléia, e destacou que a IFRS 9 é mais conservadora que a norma local, pois estabelece métodos específicos para classificação e mensuração dos riscos e perdas, enquanto que os critérios vigentes no Brasil são subjetivos dando às entidades certa liberdade ao desenvolver seus modelos internos. Um alinhamento atende a diferentes reguladores, melhora o controle e confiabilidade das informações, reduzir custos e ajustes contábeis.

Referências

BACEN - Banco Central do Brasil. Disponível em: < http://www.bcb.gov.br/pt-br/paginas/default.aspx >. Acesso em 16 de junho de 2015.
BALDWIN, Robert; CAVE, Martin. Understanding regulation: theory, strategy, and practice. Oxford: Oxford University Press, 1999.
BALLEISEN, Edward J.; MOSS, David A. (org). Government and markets: toward a new theory of regulation. Cambridge: Cambridge University Press, 2010
BANK FOR INTERNATIONAL SETTLEMENTS – BIS. Disponível em < https://www.bis.org/ >. Acesso em 16 de novembro de 2015.
Basel Committee on Banking Supervision – BCBS. Basel II: International Convergence of Capital Measurement and Capital Standards: a Revised Framework. Basiléia: Basel Committee Publication. 2004. Disponível em < http://www.bis.org/publ/bcbs107.htm > Acesso em 16 de novembro de 2015
Basel Committee on Banking Supervision – BCBS. Basel II: International Convergence of Capital Measurement and Capital Standards: A Revised Framework - Comprehensive Version. Basiléia: Basel Committee Publication. 2006. Disponível em < https://www.bis.org/publ/bcbs128.htm > Acesso em 16 de novembro de 2015
Basel Committee on Banking Supervision – BCBS. Basel III: International regulatory framework for banks (Basel III). Basiléia: Basel Committee Publication. Disponível em < https://www.bis.org/bcbs/basel3.htm?m=3%7C14%7C572 > Acesso em 16 de novembro de 2015
BEAVER, William H. Financial reporting: an accounting revolution. 3. ed. New Jersey: Prentice Hall, 1998.
BEUREN, Ilse M.; RAUPP, Fabiano M. Metodologia da Pesquisa Aplicável às Ciências Sociais. In: LONGARAY et al. Como elaborar Trabalhos Monográficos em Contabilidade: teoria e Prática (Org. Ilse Maria Beuren). São Paulo: Atlas, 2003.
Brasil, Banco Central do Brasil. Circular 3.648/13, de 4 de março de 2013. Disponível em: < http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo.asp?tipo=circ&ano=2013&numero=3648&r=1> Acesso em 05 de dezembro de 2015
____. Resolução 4.193/13, de 1º de março de 2013. Disponível em: < http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo.asp?tipo=res&ano=2013&numero=4193 > Acesso em 05 de dezembro de 2015.
____. Resolução CMN 2.682, de 21 de dezembro de 1999. Disponível em: . Acesso em 16 de junho de 2015.
____. Resolução CMN 3.786, de 24 de setembro de 2009. Disponível em: < https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/exibenormativo?tipo=Resolu%C3%A7%C3%A3o&numero=3786 >. Acesso em 16 de junho de 2015.
Brasil, Comitê de Pronunciamentos Contábeis. Resolução CFC nº 1.055 de 07 de outubro de 2005. Cria o COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS – (CPC), e dá outras providências. Disponível em: < www.cfc.org.br/sisweb/sre/docs/RES_1055.doc>. Acesso em 16 de junho de 2015.
CARDOSO, Ricardo Lopes, SARAVIA, Enrique, TENÓRIO, Fernando Guilherme, & SILVA, Marcelo Adriano. Regulação da contabilidade: teorias e análise da convergência dos padrões contábeis brasileiros aos FRS. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 43, n. 4, p. 773-799, jul./ago. de 2009.
CASCIONE, Fábio de Souza Aranha. Teoria da Regulação Francesa e o Sistema Financeiro Nacional. 2011. Dissertação (Mestrado em Direito Político e Econômico) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2011.
DEEGAN, Craig; UNERMAN, Jeffrey. Financial accounting theory. 2. ed. Londres: McGraw-Hill, 2011.
HERBST, Kharen Kelm; DUARTE, Francisco Carlos. A nova regulação do sistema financeiro face à crise econômica mundial de 2008. Rev. Direito Econ. Socioambiental, Curitiba, v. 4, n. 2, p. 16-38, jul./dez. 2013.
IFRS - International Financial Reporting Standard. Disponível em: . Acesso em 16 de junho de 2015.
International Financial Reporting Standard (IAS) 39: Financial Instruments: Recognition and Measurement. Disponível em: < http://eifrs.ifrs.org/eifrs/ViewContent?num=39&fn=IAS39o_2005-08-18_en 4.html&collection=2015_Blue_Book >. Acesso em 01 de junho de 2015.
International Financial Reporting Standard (IFRS) 9: Financial Instruments, 2014. Disponível em: . Acesso em 01 de junho de 2015.
MARTINS, Gilberto de Andrade. THEÓPHILO, Carlos Renato. Metodologia da Investigação Científica para Ciências Sociais Aplicadas. 2ª Edição Autor: Gilberto Andrade Martins. São Paulo, p.Ed Atlas, 2009.
MISES, Ludwig von. Money, credit and interest in theory of money and credit. Business cycle theory. London: Pickering & Chatto, 2002.
OLIVEIRA, Nathalia Apolinario Lima de, COSTA JÚNIOR, Jorge Vieira da Costa Junior, e SILVA, Adolfo Henrique Coutinho e Silva. (2013). Regulação contábil no Brasil: uma análise dos processos de audiência pública do comitê de pronunciamentos contábeis (CPC) nos anos de 2007 a 2011. Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 6, n. 1, p. 49-65, 2013.
RIAHI-BELKAOUI, Ahmed. Accounting theory. 5. ed. Londres: Thomson, 2004
SILVA, Marcelo A. Análise da regulação contábil: um ensaio à luz da teoria tridimensional do direito, da teoria normativa da contabilidade e do gerenciamento da informação contábil, numa perspectiva interdisciplinar. 2007. Dissertação (Mestrado em Gestão de Empresas) — Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getulio Vargas, Rio de Janeiro.
TANDY, Paulette R.; WILBURN, Nancy L. The Academic Community's Participation in Standard Setting: Submission of Comment Letters on SFA Nos. 1-117. Accounting Horizons, v. 10, p. 92-111, set. 1996.
TAVARES, Márcia Ferreira Neves; ANJOS, Luiz Carlos Marques dos; PAULO, Edilson. Contribuições enviadas ao IASB/FASB referentes à revisão do draft de reconhecimento de receitas. Contextus Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 12, p. 35-63, 2014.
VERRONE, Marco Antonio Guimarães. Basiléia II no Brasil: Uma reflexão com foco na regulação bancária para risco de crédito – Resolução CMN 2.682/99. 2007. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.
VISCUSI, W. Kip.; VERNON, John M.; HARRINGTON JR., Joseph E. Economics of regulation and antitrust. 4. ed. Cambridge: The MIT Press, 2005.
WATANABE, Sergio Henrique Eiti. Provisões para operações de crédito das instituições financeiras no Brasil: um estudo dos efeitos contábeis das alterações normativas do conselho monetário nacional, no período 1995-2005. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.
Publicado
2020-04-29
Como Citar
Nascimento Ferreira, M., Fontes de Souza Vasconcelos, A. L., & RIBEIRO MENDONCA NETO, O. (2020). Impairment e PCLD: Convergência entre a IFRS 9 e Resolução 2.682/99 (BACEN). Práticas Em Contabilidade E Gestão, 8(1). Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/pcg/article/view/13022