http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/pcg/issue/feed Práticas em Contabilidade e Gestão 2024-02-23T11:02:36-03:00 ADILSON CALDEIRA adilson.caldeira@mackenzie.br Open Journal Systems <p><span style="font-family: Calibri; font-size: medium;">É um periódico aberto a temas relativos a Administração, Controladoria, Contabilidade, Finanças e demais assuntos que contribuam para o Desenvolvimento de Negócios. Privilegia a interdisciplinaridade, publicando artigos e relatos com aplicação prática, além de ensaios e reflexões abordando temas de interesse da área. Os textos publicados são pautados pela contribuição para a construção e ampliação do conhecimento prático e teórico aplicados à gestão como referências para a eficiência e eficácia na gestão de negócios. </span></p> http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/pcg/article/view/16703 Combinando o conhecimento acadêmico e a experiência prática do mundo empresarial − uma parceria estratégica. 2023-12-13T09:57:08-03:00 Adilson Caldeira adilson.caldeira@mackenzie.br Aldy Fernandes da Silva aldy.silva@mackenzie.br 2023-12-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Adilson Caldeira; Aldy Fernandes da Silva http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/pcg/article/view/16580 SALÃO DE BELEZA: CENÁRIO NÃO TEM BELO ASSIM! 2023-10-24T17:18:04-03:00 Erika Borges Ferreira erika.ferreira@mackenzie.br Ana Lúcia Fontes de Souza Vasconcelos anafontes_ufpe@yahoo.com.br <p>Conduzido com o objetivo de apresentar reflexões sobre as potenciais contribuições de práticas adequadas<br />de gestão às condições de sobrevivência de pequenos salões de beleza no Brasil, o estudo revela que<br />essa atividade econômica, principalmente estruturada na forma de microempreendimentos individuais,<br />expõem-se a um alto risco de encerramento de atividades nos primeiros dois anos de operação, devido<br />à intensa concorrência, falta de conhecimento em gestão administrativa, financeira e legal, entre outros<br />desafios. O encerramento prematuro de negócios nesse setor tem impactos negativos no mercado, como<br />a redução da arrecadação de impostos e o aumento do desemprego. As causas do fechamento precoce<br />dessas empresas incluem má administração, falta de planejamento, competência gerencial, falta de capital<br />de giro, falta de conhecimento de mercado e normativas legais, entre outros fatores. A falta de gestão<br />financeira adequada também é um problema comum, e muitos empreendedores desconhecem a legislação<br />que rege o setor de beleza. Para enfrentar esses desafios, os empreendedores precisam adquirir conhecimento<br />em áreas como gestão financeira, tributação, administração e regulamentações específicas<br />do setor de beleza. A cultura de gestão de risco deve ser integrada à empresa, e as práticas gerenciais<br />devem ser simplificadas e adaptadas às particularidades de cada negócio. A disseminação do conhecimento<br />desempenha um papel crucial na capacitação e no fortalecimento do setor de beleza, contribuindo<br />para sua resiliência no mercado.</p> 2023-12-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Erika Borges Ferreira, Ana Lúcia Fontes de Souza Vasconcelos http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/pcg/article/view/16640 REFLEXÕES SOBRE A IMPORTÂNCIA DA HUMANIZAÇÃO NAS EMPRESAS BRASILEIRAS PARA A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO SOB A ÓTICA DOS SEUS GESTORES. 2023-12-13T13:31:32-03:00 Evandro Teixeira dos Santos Filho evandroteixeira22@gmail.com Felipe Mendes Ferreira mentosfelipe@hotmail.com Paloma Lidiane Soares palomalidiane16@gmail.com Robert Alexander Rodrigues robert.alexrodrigues99@gmail.com Robsney Gonçalves robsney.goncalves@newtonpaiva.br <p>A humanização nas empresas brasileiras reflete diretamente na qualidade de vida no trabalho (QVT). A gestão arcaica, que centraliza a visão e cria burocracias, deu vez à gestão humanizada, com foco na qualidade de vida no trabalho. Gestores atuais atentaram-se para o tema e buscam o cumprimento da árdua missão de humanizar a gestão de pessoas de suas empresas, levando em consideração a preocupação e o cuidado com a satisfação e motivação dos funcionários, obtendo maior sucesso empresarial. Portanto, o presente artigo teve como objetivo verificar a importância da humanização das empresas brasileiras para a QVT sob a ótica de seus gestores. Os autores apresentados demonstram que humanizar a gestão de pessoas nas empresas é de fato importante na QVT e que os gestores que adotaram essa gestão estão mais inclinados ao sucesso em decorrência da motivação, felicidade e do sentimento de importância que os funcionários experimentam.</p> 2024-02-23T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Evandro Teixeira dos Santos Filho, Felipe Mendes Ferreira, Paloma Lidiane Soares , Robert Alexander Rodrigues , Robsney Gonçalves http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/pcg/article/view/16825 Práticas em Contabilidade e Gestão - v. 11, n. 3 2024-02-23T11:02:36-03:00 2024-02-23T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/pcg/article/view/16018 IMPACTO DA PANDEMIA DE COVID-19 NOS INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE AÉREO LISTADAS NA B3 2023-09-15T10:42:22-03:00 VERANITA FREITAS veranita10@hotmail.com <p>A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a Covid-19 como uma pandemia global que trouxe impactos sociais, culturais, políticos e econômicos. O setor de transporte aéreo foi uma das atividades econômicas mais afetadas pela pandemia. Dessa forma, esta pesquisa tem por objetivo analisar os anos de 2019 a 2021 das empresas do setor de transporte aéreo listadas na Brasil, Bolsa, Balcão (B3), utilizando os indicadores econômico-financeiros. Para tanto, realizou-se uma pesquisa descritiva e quantitativa a partir de relatórios estruturados disponibilizados no <em>site </em>da B3. Os dados apresentados nas Demonstrações do Resultado do Exercício e Balanço Patrimonial permitiu calcular os índices de liquidez, estrutura do capital e rentabilidade, diante dos resultados foi possível obter conclusões e comparar o desempenho das companhias no período de pandemia. Os resultados revelaram que as empresas analisadas já apresentavam um desempenho insatisfatório, mas que foi agravado com a chegada da pandemia.</p> <p> </p> 2023-12-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 VERANITA FREITAS http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/pcg/article/view/16435 BUSINESS INTELLIGENCE (BI) E SUA INFLUÊNCIA NA ROTINA DE CONTROLLERS BEAN COUNTERS E BUSINESS PARTNERS 2023-11-05T18:12:01-03:00 Bianca de Sousa Ferreira bferreira04@unifesp.br Simone Alves da Costa simone.ac@gmail.com <p>O objetivo deste estudo foi analisar a influência do uso do <em>Business Intelligence</em> na rotina de <em>controllers</em>, considerando os perfis <em>Bean Counter</em> e <em>Business Partner</em>. O trabalho foi conduzido por meio de pesquisa de levantamento, cuja coleta de dados se deu pela aplicação de um questionário. Foram enviadas 368 solicitações de resposta por meio da plataforma Linkedin às 150 maiores empresas, segundo a GPTW Brasil (2021). Desses envios, foram obtidas 51 respostas ao questionário, sendo 23 delas correspondentes a cargos equivalentes à função de <em>controller</em>, sendo esses os considerados efetivamente para o estudo. Os resultados mostraram que, dentre as ferramentas de BI, a mais utilizada foi o Power BI, bem como o fato de que a frequência do uso de <em>Business Intelligence</em> é alta e influencia de forma relevante a rotina dos <em>controllers</em>. O conjunto de informações ou relatórios disponibilizados por tais ferramentas se mostra suficiente para a tomada de decisão dos negócios. O perfil dos controllers predominante foi <em>Bean Counter</em>, o que mostra que a função dos <em>controllers</em>, dentre os respondentes, ainda requer um perfil estratégico, como sugere a descrição do perfil <em>Business Partner</em>.</p> 2023-12-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Bianca de Sousa Ferreira, Simone Alves da Costa http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/pcg/article/view/16699 IMPLANTAÇÃO DO ORÇAMENTO EMPRESARIAL EM UM COMÉRCIO VAREJISTA DE VEÍCULOS NOVOS. 2023-12-13T09:03:36-03:00 FILIPI QUADROS EMIDIO fqe15@hotmail.com <p>Em um cenário econômico cada vez mais competitivo, em que as atividades comerciais estão sujeitas às<br />incertezas do mercado, é claro que as empresas, como entidades socioeconômicas, necessitam de ferramentas<br />eficazes para auxiliá-las no processo de tomada de decisões. Isso é fundamental para manter sua<br />operacionalidade ao longo dos diversos ciclos que podem impactá-las. Estamos falando de decisões que<br />têm um impacto significativo na gestão estratégica dos negócios, abrangendo aspectos quantitativos,<br />qualitativos e temporais. Nesse contexto, surge a necessidade de adotar a técnica do orçamento empresarial.<br />Essa abordagem oferece várias vantagens aos gestores, permitindo a execução e o controle de<br />novos investimentos, bem como a identificação dos gastos necessários. Isso é realizado por meio da<br />análise de dados históricos e da projeção de resultados futuros. O orçamento empresarial é uma ferramenta<br />que desempenha um papel crucial no planejamento e controle de informações econômicas e financeiras.<br />Sua função vai além, pois ele integra diversos aspectos da gestão, fornecendo medições,<br />avaliações e previsões de resultados futuros. Neste contexto, este estudo se concentra em propor a implementação<br />do orçamento empresarial em um estabelecimento varejista de veículos automotores novos,<br />mais especificamente em uma concessionária na cidade de Araranguá (SC). A oportunidade aqui é<br />melhorar o desempenho da gestão atual por meio da comparação entre os valores orçados e os resultados<br />efetivamente alcançados. Além disso, o objetivo é incorporar essa ferramenta à rotina da empresa.<br />A partir do orçamento, os gestores terão a capacidade de avaliar se as projeções planejadas estão sendo<br />cumpridas ao longo de cada período econômico. Além disso, o sistema permite ajustes sempre que necessário,<br />para lidar com mudanças de cenário, sejam elas originadas internamente ou de fatores externos<br />que afetam as atividades da empresa.</p> 2024-02-23T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 FILIPI QUADROS EMIDIO http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/pcg/article/view/16685 GASTOS COM EDUCAÇÃO E SUAS RELAÇÕES COM OS INDICADORES CONTÁBEIS DOS MUNICÍPIOS CAPIXABAS 2023-12-26T16:43:19-03:00 Danilo Moraes Silva Scopel danilo.scopel@hotmail.com Aridelmo Teixeira aridelmo@fucape.br Aziz Xavier Beiruth aziz@fucape.br <p>Atualmente, os gestores públicos têm o desafio de aliar demanda por serviços à população com recursos escassos. Assim, visam eficiência na tomada de decisão. A literatura mostra que análise via indicadores contábeis é um mecanismo que contribui com esse propósito. Destarte objetivou-se responder: “Os indicadores contábeis, apurados nos balanços dos municípios capixabas, têm relação com o investido em educação?” Para responder a essa questão, utilizou-se dos métodos estatísticos: estatística descritiva, regressão linear e correlação de Pearson. Os resultados indicam que alguns quocientes utilizados, como Liquidez Imediata e Composição do Endividamento, apresentaram relação com o investido em educação e relevância em utilizar os indicadores para sugerir caminhos para auxiliar na decisão de investir mais ou não, a fim de aperfeiçoar os serviços prestados.</p> 2024-02-23T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Danilo Moraes Silva Scopel, Aridelmo Teixeira, Aziz Xavier Beiruth