Arquitetura e urbanismo resilientes às inundações

Maria Augusta Justi Pisani

Resumo


Os acidentes associados a inundações urbanas têm atingido mais as classes sociais menos favorecidas e os assentamentos precários. As políticas públicas brasileiras em relação às regiões ambientalmente frágeis têm se direcionado para identificação e tratamento das áreas de risco ocupadas e, os maiores investimentos ainda são empregados no socorro às vítimas e as ações para que os acidentes sejam minimizados ou evitados são deixadas em segundo plano.

 As inundações urbanas geram perdas socioeconômicas e ambientais cada vez mais graves. A postura de combater esses danos tem mudado nas últimas décadas e passou da finalidade de previsão e socorro as vítimas para a de construir edifícios e cidades resilientes

O objetivo desta investigação é de identificar os desafios e possibilidades da arquitetura e urbanismo resilientes em áreas suscetíveis a inundações. O procedimento metodológico empregado foi o levantamento de dados primários e secundários com relação às políticas públicas e tipos construtivos nacionais e internacionais, com ênfase no século XXI.

Os resultados elencam soluções projetuais que podem auxiliar novos processos de projeto de edificações que amparam a preservação social nos casos de inundações


Palavras-chave


Projeto em áreas de risco; Arquitetura resiliente; Inundações urbanas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Maria Augusta Justi Pisani