Será que aquilo deu nisso? - A deteriorização do canto e da composição coral no Brasil desde a inserção de arranjos de canções da indústria da cultura

Cristina Moura Emboaba da Costa Julião de Camargo, Rubens Russomanno Ricciardi

Resumo


Levanta-se aqui a tese de que o movimento de arranjos de MPB a partir dos anos 1960 – tendo como principais arranjadores pioneiros Damiano Cozzella, Samuel Kerr e Marcos Leite – desencadeou um processo em que pouco a pouco foi decrescendo o nível artístico de boa parte dos corais brasileiros. A influência excessiva dos padrões medianos da indústria da cultura acaba por aniquilar os fundamentos e os parâmetros da música como arte.


Palavras-chave


canto coral; arranjo coral; indústria da cultura; canção popular; composição coral

Texto completo:

PDF