INmobility: processos de criação e imprevisíveis visualidades do cotidiano

Autores

  • Luisa Paraguai Pontificia Universidade Católica de Campinas

Palavras-chave:

arte e tecnologia, redes e narrativas, mobilidades física e informacional, experiencias e percepções do cotidiano, visualidades e códigos computacionais

Resumo

O texto preocupa-se com a condição contemporânea da vida cotidiana transformada pelas tecnologias móveis e pelas redes digitais. Discute novas possibilidades de comportamento e de ocupação do espaço urbano, diante das trocas informacionais em tempo real – acesso a dados e processos de comunicação interpessoal. Em grandes cidades existem diversos modos de escolha de trajetos e deslocamentos, quando usuários sobrepõem a paisagem urbana com camadas de dados. Ao compreender outras possíveis percepções do espaço urbano, o projeto artístico “INmobility torna visíveis experiências pessoais, utilizando estruturas topológicas de percepção visual dos usuários pela recombinação de imagens da cidade. Como resultado, surgem narrativas visuais, estruturadas por meio de algoritmos computacionais, que criam diferentes perspectivas e padrões visuais do cotidiano das pessoas.

Referências

Castells, M. A era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
De SOUSA e SILVA A, FRITH, J. Mobile interfaces in public spaces: locational privacy, control, and urban sociability. New York and London: Routledge, 2012.
ECO, U. Innovation & repetition: between modern & postmodern aesthetics. Daedalus, Journal of the American Academy of Arts & Sciences, vol. 134, n. 4, p. 191-207, 2005.
FERRARA, L.D. (editor). Espaços comunicantes. São Paulo: Annablume, Grupo ESPACC, 2007.
HALL, E.T. The hidden dimension. Garden City, New York: Anchor Books Editions, 1990a.
HALL, E. T. The silent language. Garden City, New York: Anchor Books Editions, 1990b.
Hayles, N. K. Writing machines. Cambridge, MA; London, UK: The MIT Press, 2002.
Horvath, R. Machine space. The Geographical Review, no. 64, p. 167-188, 1974.
Lefebvre, H. The theory of moments and the construction of situations Internationale, 1960. Disponível em <>. Acesso em jan 2022.
LEMOS, A. Locative media and surveillance at the boundaries of informational territories. In: Firmino RJ, Duarte F e Ultramari C (editores) ICTs for Mobile and Ubiquitous Urban Infrastructures: Surveillance, Locative Media and Global Networks. Hershey: IGI Global, 2010.
Manovich, L. What is visualisation?, 2010. Disponível em <lab.softwarestudies.com/2010/10/new-article-is-visualization.html>. Acesso em jan. 2022.
Manovich, L. Software takes command, 2008. Disponível em < lab.softwarestudies.com/2008/11/softbook.html>. Acesso em jan. 2022.
NÖE, A. Action in perception. Cambridge; London: The MIT Press, 2008.
Santaella, L. Linguagens líquidas na era da mobilidade. São Paulo: Paulus, 2007.
SANTOS, M. A Natureza do espaço: Técnica e Tempo. Razão e Emoção. São Paulo: Editora Hucitec, 1999.
Seel, M. Aesthetics of Appearing. California: Stanford University Press, 2005.

Downloads

Publicado

2022-12-23

Como Citar

Paraguai, L. (2022). INmobility: processos de criação e imprevisíveis visualidades do cotidiano. Revista Trama Interdisciplinar, 13(2), 67–82. Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/15079