Conhecimento e autoeficácia de memória em adultos: relações com indicadores socioeducacionais

Camila Schorr Miná, Maxciel Zortea, Jaqueline de Carvalho Rodrigues, Jerusa Fumagalli de Salles

Resumo


Este estudo comparou o conhecimento e a autoeficácia de memória (meta­memória) medidos por meio do Questionário de Metamemória em Adultos (MIA), em adultos entre 28 e 59 anos de idade, divididos em dois grupos de escolaridade: até o Ensino Médio (n = 20) e com Ensino Superior (n = 20) completos. Também foi inves­tigada a associação entre metamemória e nível socioeconômico (NSE) e entre frequên­cia de hábitos de leitura (HL) e escrita (HE) na amostra total. Os resultados mostraram que adultos com Ensino Superior completo relataram maior percepção de Controle, maiores Conhecimento e uso de Estratégias de memória em comparação ao outro grupo. Adultos com mais altos NSE, HL e HE relataram conhecer mais estratégias de memória e controlar melhor suas habilidades mnemônicas. Esses indicadores socioedu­cacionais podem estar associados a um funcionamento metacognitivo mais adaptado. O estudo discute o papel do perfil educacional e das atividades intelectuais de adultos saudáveis economicamente ativos.

Palavras-chave: metacognição; memória; fatores socioculturais; escolaridade; neu­ropsicologia.


Texto completo:

PDF