Entre o prazer e o sofrimento: um estudo sobre os sentidos do trabalho para professores universitários

  • Maria Chalfin Coutinho Universidade Federal de Santa Catarina
  • Márcia Luiza Pit Dal Magro UNOCHAPECÓ
  • Cristiane Budde UFSC

Resumo

O mundo do trabalho tem sofrido transformações nas últimas décadas, provocando precarização e flexibilização do trabalho. Isso se reflete no trabalho docente, com contratos flexíveis, maior intensificação da carga de trabalho e exigência de polivalência. Nesse contexto realizou-se a pesquisa com objetivo de compreender os sentidos de prazer e sofrimento no trabalho, atribuídos por professores de universidades comunitárias. Foram entrevistados oito docentes e realizada análise qualitativa do conteúdo das entrevistas. Os resultados apontam que as mudanças na esfera do trabalho docente trazem implicações para as significações deste. Predominam vivências relacionadas ao sofrimento no trabalho, associadas à elevada carga de trabalho, que gera exaustão física e mental, e à insegurança quanto ao contrato de trabalho. Contudo, vivências de prazer foram apontadas pelos participantes da pesquisa, especialmente associadas à identidade de ser professor e ao reconhecimento do trabalho.

 

Palavras-chave: Saúde do trabalhador; sofrimento psíquico; docentes; educação superior; mercado de trabalho.

 

Biografia do Autor

Maria Chalfin Coutinho, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Ciências Sociais (UNICAMP), professora do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFSC e Bolsista Produtividade do CNPq.

Márcia Luiza Pit Dal Magro, UNOCHAPECÓ
Doutoranda em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina, professora da Área de Ciências Humanas e Jurídicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó
Cristiane Budde, UFSC
Acadêmica do curso de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina, bolsista de pesquisa do Programa PIBIC/CNPq – BIP/UFSC 2009/2010
Publicado
2011-10-20
Seção
Artigos Originais