Prevalência dos problemas de comportamento em uma amostra de crianças do Rio Grande do Sul

Juliane Callegaro Borsa, Daiane Silva de Souza, Denise Ruschel Bandeira

Resumo


O presente estudo investigou a prevalência de problemas de comportamento, medidos através do CBCL/6-18, em uma amostra de crianças escolares residentes em Porto Alegre, região metropolitana e interior do Rio Grande do Sul, Brasil. Participaram 140 pais, mães ou cuidadores de meninos e meninas, matriculados entre o terceiro e o quinto ano do ensino fundamental, de escolas públicas e privadas. Os resultados apontaram que meninos e meninas apresentaram alta prevalência de problemas de comportamentos agressivos (externalizantes) seguidos pelos problemas de ansiedade/depressão e isolamento/depressão (internalizantes). Problemas de comportamento internalizantes predominaram sobre os externalizantes. Não houve diferença estatisticamente significativa entre meninos e meninas para os diferentes tipos de problemas de comportamento. As variáveis ‘baixo nível socioeconômico’, ‘tipo de escola (Pública ou Privada)’ e ‘ocorrência de separação dos pais’ apresentaram associação com problemas de comportamento, conforme escores obtidos pela Escala Total de Problemas de Comportamento do CBCL/6-18. Conclui-se, que as variáveis sociodemográficas podem exercer influência na manifestação de problemas de comportamento na infância merecendo ser investigadas.

 

Palavras-chave: Crianças; Avaliação; Problemas de Comportamento; Comportamento Infantil; Prevalência.


Texto completo:

PDF


ISSN 1980-6906 (on-line)