Violência Conjugal em uma Perspectiva Relacional: Homens e Mulheres Agredidos/Agressores

Conteúdo do artigo principal

Simone Ferreira Alvim
Lídio Souza

Resumo

Este artigo discute dados de uma pesquisa sobre violência conjugal. O estudo objetivou identificar as concepções de violência, o contexto conjugal, os tipos de agressão, os sentimentos gerados após o ocorrido e as conseqüências para a saúde dos envolvidos. Uma amostra de dez sujeitos agredidos/agressores (sete homens e três mulheres) foi entrevistada, utilizando-se um roteiro semi-estruturado, que contemplava os núcleos de interesse. A análise temática do conteúdo das entrevistas revelou que as diferenças presentes no cotidiano foram utilizadas como explicação para as dificuldades da conjugalidade. Assim, a intolerância à alteridade se constituiu na principal situação conflitual, que dificulta a negociação das diferenças psicossociais e ocasiona episódios violentos, físicos e/ou psicológicos.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Alvim, S. F., & Souza, L. (2005). Violência Conjugal em uma Perspectiva Relacional: Homens e Mulheres Agredidos/Agressores. Revista Psicologia: Teoria E Prática, 7(2), 171–206. Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/article/view/1041
Seção
Artigos

Referências

ALMEIDA, R.O. Mulheres que Matam: Universo Imaginário do Crime no Feminino. Rio de Janeiro: Relume Dumará/UFRJ, 2001.

ARAÚJO, M. F. Violência e abuso sexual na família, Psicologia em Estudo, v. 7, nº 2, 3-11, 2002.

ARCOS G., E.; MOLINA V., I., REPOSSI F., A., UARAC U., M., RITTER A., P.; ARIAS R. L. Violencia doméstica y sexualidad. Revista Médica de Chile. 127(11) , p.1329-1338, 1999.

ARILHA, M. Homens Jovens, Gênero e Masculinidades. Seminario Latinoamericano Trabajando com hombres jóvenes: salud, sexualidad, género y prevención de violencia. Querétaro, México, 1999. Disponível em: . (Acesso em: 21 jan 2002).

ARILHA, M.; RIDENTI, S. G. U.; MEDRADO, B. Homens e Masculinidades: Outras Palavras. São Paulo: ECOS/Editora 34, 1998.

BADINTER, E. O feminismo visita o divã. Carta Capital: Política, Economia e Cultura. (entrevista concedida a DUARTE, L.). ano IX, n. 248, 09/07/2003.

BARATA, R. B.; RIBEIRO, M. C. S. A.; MORAES, J. C. Tendência temporal da mortalidade por homicídios na cidade de São Paulo, Brasil, 1979-1994. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, 15(4), p.711-718, 1999.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

CARVALHO, M.P. Mau aluno, boa aluna? Como as professoras avaliam meninos e meninas, Estudos Feministas, Ano 9(2), p. 554-574, 2001.

CASTRO, R.; RIQUER, F. La investigación sobre violencia contra las mujeres en América Latina: entre el empirismo ciego y la teoría sin datos. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, 19(1), p.135-146, 2003.

CHAUÍ, M. A não-violência do brasileiro, um mito interessantíssimo. Almanaque: Cadernos de Literatura e Ensaio, Brasiliense, n. 11, p.16-24, 1980.

COOK, P. W. Abused Man: The Hidden Side of Domestic Violence. (pp. 1-35). EUA: Praeger Publishers, 1997.

CORDEIRO, R.; DONALISIO, M. R. C. Homicídios masculinos na região metropolitana de São Paulo entre 1979 e 1998: uma abordagem pictórica. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, 17(3), p. 669-677, 2001.

CORRÊA, M. Morte em Família. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

DANTAS-BERGER, S. M.; GIFFIN, K. A violência nas relações de conjugalidade: invisibilidade e banalização da violência sexual? Cadernos de Saúde Pública, 21(2), p. 417-425, 2005.

DARIO, N. A identidade masculina e o movimento de emancipação da mulher. Arquivos Brasileiros de Psicologia. Rio de Janeiro: Imago, 11, p. 79-92, 2001.

DESLANDES, S. F.; GOMES, R.; SILVA, C. M. F. P. Caracterização dos casos de violência doméstica contra a mulher atendidos em dois hospitais públicos do Rio de Janeiro. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 16(1), p. 129-137, 2000.

DRUMOND JR., M.; LIRA, M. M. T. A.; FREITAS, M.; NITRINI, T. M. V.; SHIBAO, K. Avaliação da qualidade das informações de mortalidade por acidentes não especificados e eventos com intenção indeterminada. Revista de Saúde Pública. 33(3), p. 273-280, 1999.

FÉRES-CARNEIRO, T. Casamento contemporâneo: o difícil convívio da individualidade com a conjugalidade. Psicologia: Reflexão e Crítica. 10(2), p. 379-394, 1998.

FREITAS, E. D., PAIM, J. S., SILVA, L. M. V.; COSTA, M. C. N. Evolução e distribuição espacial da mortalidade por causas externas em Salvador, Bahia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, 16(4), p.1059-1070, 2000.

GARCIA, M. L. T. Problemas no Casamento: A Presença Utópica do Amor Romântico, v.1, pp.32-51, Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

GIDDENS, A. A Transformação da Intimidade. São Paulo: UNESP, 1993.

GIFFIN, K. Violência de gênero, sexualidade e saúde, Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, 10 (Suplemento 1), p. 146-155, 1994.

GONÇALVES, H. S.; FERREIRA, A. L. A notificação da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes por profissionais de saúde. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, 18(1), p. 315-319, 2002.

HINES, D. A.; MALLEY-MORRISON, K. Psychological Effects of Partner Abuse Against Men A Neglected Research Area, Psychology of Men & Masculinity, Vol. 2, no 2, p. 75-85, 2001.

JACKSON, S. M. Issues in the dating violence research: a review of the literature. Aggression and Violent Behavior. 4(2), p. 233-247, 1999.

JOVCHELOVITCH, S. Representações Sociais e Esfera Pública: A Construção Simbólica dos Espaços Públicos no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2000.

KIMMEL, M. The masculine mystique. Manhood in America: A Cultural History, pp. 261-290, New York: Free Press, 1997.

MARTÍN, F. M. La violencia en la pareja. Revista Panamericana Salud Publica. 5(4-5), p. 245-258, 1999.

MEDINA, E. R. Poder, privilegio y penuria: reflexiones en torno a la masculinidad. Revista Interamericana de Psicología/Interamerican Journal of Psychology. 26(1), p.1-17, 1992.

MEDRADO, B.; LYRA, J. A adolescência “desprevenida” e a paternidade na adolescência: uma abordagem geracional e de gênero. In: SCHOR, N.; MOTA, M. S. F. T.; BRANCO, V. C. (Orgs.). Cadernos Juventude, Saúde e Desenvolvimento. (1), 1999, p. 230-248. Brasília: Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde.

MÉNDEZ, L. B. Violencia de género y prevención. El problema de la violencia masculina. Intervención en Jornadas: Actuaciones Sociopolíticas Preventivas de la Violencia de Género. Madrid, 1999. Disponível em: http://www.artnet.com.br/~marko/violenci.htm (Acesso em 25/01/03)

MENEGHEL, S. N.; CAMARGO, M.; FASOLO, L. R.; MATTIELLO, D. A.; SILVA, R. C. R.; SANTOS, T. C. B.; DAGORD, A. L.; RECK, A.; ZANETTI, L.; SOTTILI, M.; TEIXEIRA, M. A. Mulheres cuidando de mulheres: um estudo sobre a Casa de Apoio Viva Maria, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, 16(3), 2000. Disponível em: . (Acesso em 25/01/03).

MINTON, H. L. Psychology and gender at the Turn of the century. American Psychologist. 55(6), p. 613-615, 2000.

NEGREIROS, T. C. G. M.; FÉRES-CARNEIRO, T. Masculino e feminino na família contemporânea, Estudos e Pesquisas em Psicologia, Ano 4. nº. 1, p.34-47, 2004.

NEVES, S.; NOGUEIRA, C. A psicologia feminista e a violência contra as mulheres na intimidade: a (re)construção dos espaços terapêuticos, Psicologia & Sociedade. 15 (2), p. 43-64, 2003.

NJAINE, K; SOUZA, E. R.; MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G. A produção da (des)informação sobre violência: análise de uma prática discriminatória. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, 13 (3), p. 405-414, 1997.

NOLASCO, S. De Tarzan a Homer Simpson: Banalização e Violência Masculina em Sociedades Contemporâneas Ocidentais. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

SANT’ANNA, A. R.; LOPES, M. J. M. Homicides among teenagers in the city of Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil: vulnerability, susceptibility, and gender cultures. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, 18(6), p.1509-1517, 2002.

SAWAIA, B. O sofrimento ético-político como categoria de análise da dialética exclusão/inclusão. In: SAWAIA, B. (Org.). As Artimanhas da Exclusão. Petrópolis: Vozes, 2001, p. 97-118.

SILVA, M. M. A. Masculinidade e gênero. Masculinidades e Gênero: Discursos sobre Responsabilidade na Reprodução. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1999.

SOUZA, L.; MENANDRO, P. R. M. Vidas apagadas: vítimas de linchamentos ocorridos no Brasil (1990-2000). Revista Psicologia Política. 2(4), p. 233-248, 2002.

TRINDADE, Z. A.; MENANDRO, M. C. S. Pais adolescentes: vivência e significação. Estudos de Psicologia. 7(1), p.15-23, 2002.

VELHO, G. Violência, Reciprocidade e Desigualdade: uma perspectiva antropológica. In: VELHO, G.; ALVITO, M. (Orgs.) Cidadania e Violência. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/Editora FGV, 1996, p. 10-24.

VENTURINI, F. P.; BAZON, M. R.; BIASOLI-ALVES, Z. M. M. Família e violência na ótica de crianças e adolescentes vitimizados, Estudos e Pesquisas em Psicologia, Ano 4, no 1, p.20-33, 2004.

VIZCARRA L., M. B.; CORTES M., J.; BUSTOS M., L.; ALARCÓN E., M.; MUÑOZ N., S. Violencia conyugal en la ciudad de Temuco: Un estudio de prevalencia y factores asociados. Revista Médica Chile. 129(12), p.1405-1412, 2001.

ZALUAR, A.; LEAL, M. C. Violência extra e intramuros. Revista Brasileira de Ciências Sociais. 16(45), 2001. Disponível in: . (Acesso em 15/08/2002).