Adaptação brasileira do inventario de autoeficacia para el estúdio

Patrícia Nunes da Fonsêca, Ricardo Neves Couto, Maria Izabel Fernandes da Silva, Gabriel Lins de Holanda Coelho, Thayro Andrade Carvalho

Resumo


Este estudo tem como objetivo adaptar e validar o Inventario de Autoeficacia para el Estudio (IDAPE). Contou-se com 256 universitários, cuja média de idade foi de 22,96 anos (DP = 5,73), sendo 58,6% do sexo feminino. A maioria destes foi proveniente de instituições particulares (51,2%). Os participantes responderam o IDAPE e questões sociodemográficas. Para análise de dados utilizou-se o SPSS. Por meio de análise fatorial exploratória, verificou-se que o IDAPE ficou composto por oito itens em um único fator, explicando 39% da variância total e apresentando alfa Cronbach de 0,77. Observou-se que a autoeficácia não diferiu em função do sexo, apresentando diferença somente quanto ao tipo de instituição. A quantidade de horas diárias de estudos e a autopercepção como estudante se correlacionaram positivamente e significantemente com a autoeficácia. Conclui-se que é oferecido um instrumento com evidências psicométricas satisfatórias para investigar a autoeficácia e atividades autoreguladoras da aprendizagem no contexto brasileiro.


Texto completo:

PDF


ISSN 1980-6906 (on-line)