Norma pessoal de reciprocidade: evidências de validade e precisão de uma medida

Valdiney Veloso Gouveia, Anderson Mesquita do Nascimento, Alex Sandro de Moura Grangeiro, Tailson Evangelista Mariano, Layrtthon Carlos de Oliveira Santos

Resumo


O presente estudo objetivou adaptar para o contexto brasileiro o Questioná­rio Norma Pessoal de Reciprocidade (QNPR), reunindo evidências de sua validade fa­torial e consistência interna. Participaram 203 universitários, com idade média de 20,6 anos (DP = 4,54). Os dados foram analisados separadamente para crenças e compor­tamentos em reciprocidade. A primeira parte referente às crenças na reciprocidade contou com nove itens, com alfa de Cronbach de 0,66 e saturações variando de 0,33 a 0,65; na parte referente aos comportamentos em reciprocidade, dois componentes emergiram: o primeiro denominado reciprocidade negativa contou com nove itens, com saturações variando de 0,46 a 0,80 e alfa de Cronbach de 0,85 enquanto o segun­do componente foi denominado reciprocidade positiva, e contou com sete itens e sa­turações variando de 0,46 a 0,76, com alfa de Cronbach de 0,74. Concluiu-se que esses achados apoiam a adequação psicométrica deste instrumento, que apresenta evidên­cias de validade e precisão.

Palavras-chave: reciprocidade; cooperação; retaliação; medida; validade.


Texto completo:

PDF