Padrões perceptuais nos transtornos globais do desenvolvimento: rastreamento ocular em figuras sociais e não sociais

  • Fernanda Tebexreni Orsati Syracuse University
  • Tatiana Pontrelli Mecca Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Daiana Fernanda de Melo Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • José Salomão Swartzman Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Elizeu Coutinho de Macedo Universidade Presbiteriana Mackenzie

Resumo

Um dos prejuízos nos transtornos globais do desenvolvimento (TGD) é a interação social. Estudos que investigam os movimentos oculares nos TGD têm demonstrado que é possível quantificar e definir o fenótipo social dessa desordem. O objetivo do estudo foi verificar se pessoas com TGD diferem dos controles no padrão de percepção de figuras sociais (rostos de pessoas) e não sociais. Participaram 11 indivíduos do sexo masculino com TGD, pareados por idade, sexo e nível intelectual com grupo-controle. Os movimentos oculares foram registrados pelo equipamento computadorizado Tobii® 1750. Os sujeitos com TGD apresentaram mais padrões de omissão do que os controles (t[20] = 2,362; p = 0,028) e usaram menos estratégias de rastreamento organizado (t[20] = 4,249; p < 0,000). Análise do padrão de rastreamento revelou que participantes com TGD tenderam a explorar as figuras de maneira menos organizada, ocasionando a omissão de figuras e não percepção de estímulos. Esse padrão é importante para entendermos a percepção social nos TGD.

Publicado
2010-05-14
Seção
Artigos Originais