Treinamento sobre transtorno do espectro autista na atenção básica do Brasil: Teleducação e presencial

  • Rosane Lowenthal Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo - Departamento de Saúde Mental
  • Luciana Coltri Silva Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Claudio Torres Miranda Universidade Federal de Alagoas - Faculdade de Medicina
  • Jorge Arthur Peçanha de Miranda Coelho Universidade Federal de Alagoas - Faculdade de Medicina
  • Cristiane Silvestre De Paula Universidade Presbiteriana Mackenzie - Pós Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento; Universidade Federal de São Paulo - Departamento de Psiquiatria e Psicologia Médica

Resumo

Os primeiros sintomas de transtorno do espectro autista (TEA) são detectados por profissionais da atenção básica. O objetivo deste estudo foi desenvolver e avaliar um modelo de treinamento via telemedicina e workshop presencial sobre TEA e saúde mental infantil para médicos e enfermeiros da atenção básica. Participaram do treinamento 150 profissionais de cinco cidades brasileiras. No módulo a distância, foram desenvolvidos vídeos sobre TEA e os principais transtornos da infância, e no presencial foi baseado no treinamento “Técnicas de comunicação para lidar com saúde mental de crianças e adolescentes na atenção primaria”. Os profissionais foram avaliados antes e depois da capacitação com questionários específicos de conhecimento e o Questionário de conhecimento, atitudes e prática (CAP). Os resultados apontaram a aquisição de conhecimento, atitudes e prática tanto pelos médicos quanto pelos enfermeiros. Os resultados deste estudo mostram que o treinamento de profissionais da atenção básica é factível e efetiva.
Palavras-chave: transtorno autístico; atenção básica; medicos; enfermeiros; capacitação.

Publicado
2019-10-17
Seção
Desenvolvimento Humano - Seção Especial: Transtorno do Espectro Autista