Arquitetura como infraestrutura

o desafio de projetar a cidade contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5935/cadernospos.v22n2p41-53

Palavras-chave:

Arquitetura e infraestrutura; Cidade contemporânea; Processo de projeto contemporâneo.

Resumo

Este artigo propõe uma investigação sobre a produção da arquitetura no contexto urbano contemporâneo: no cenário atual de escassez de investimento e ineficácia do planejamento da cidade presente e futura, faz-se necessário explorar formas alternativas de ação que envolvam processos híbridos e participativos de produção arquitetônica. A ideia de arquitetura como infraestrutura é construída a partir da pesquisa sobre formas abertas, latentes de possibilidades, objetivando resultados máximos para contextos extremos: dispositivos conectados com a realidade que alimentam e ressignificam a dinâmica urbana. A discussão relaciona investigações conceituais com exemplos de arquitetura, propondo uma atualização do conceito de infraestrutura, considerada a partir do sistema de produção em curso, reavaliando o papel da arquitetura no contexto contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACCONCI, V. Plataforma para o Largo do Glicério. 2002. Disponível em: http://www.artecidade.org.br/novo/txcurador_vito.htm. Acesso em: 18 jan. 2021.

ADELUSI, A. A. (ed.). Lagos – how it works: Harvard Project on the City with Rem Koolhaas and Edgar Cleijne. Zurich: Lars Müller Publishers, 2007.

BANHAM, R. From agit-prop to free space: the architecture of Cedric Price. London: Black Dog, 2007.

CACCIARI, M. A cidade. Barcelona: Gustavo Gili, 2010.

EASTERLING, K. Extrastatecraft: the power of infrastructure space. London: Verso, 2014.

JAMESON, F.; SPEAKS, M. Envelopes and enclaves: the space of post-civil society – an architectural conversation. Assemblage, Cambridge, n. 17, p. 30-37, 1992.

KINSELLA, E. What will the $500 million shed arts center actually do? No one seems to know. ArtNet, 25 maio 2017. Disponível em: https://news.artnet.com/art-world/what-will-the-shed-bring-to-new-york-972656. Acesso em: 22 mar. 2022.

KOOLHAAS, R. Content. Germany: Taschen, 2004.

KOOLHAAS, R. Junk Space. In: KOOLHAAS, R.; MCGETRICK, B. (eds.). Content. Germany: Taschen, 2004. p. 162-171.

KOOLHAAS, R. S, M, L, XL. Rotterdam: 0-10 Publishers, 1995.

KWINTER, S. Mach 1 – e outras visitações místicas. In: SIKES, K. O campo ampliado da arquitetura. São Paulo: Cosac & Naify, 2013. p. 64-72.

MARTINS, P. Uma arquitetura outra: o processo de ruptura entre forma e função. 2011. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

MATHEWS, S. From agit-prop to free space: the architecture of Cedric Price. London: Black Dog, 2007.

PEIXOTO, N. B. As máquinas de guerra contra os aparelhos de captura, 2002. Fotonovela.

SEIDL, A. C. Projeto do megaprédio chega à Câmara. Folha de São Paulo, 17 out. 1999. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ cotidian/ff1710199917. htm. Acesso em: 22 mar. 2022.

SIMONE, A. People as infrastructure: intersecting fragments in Johannesburg. Public Culture, v. 16, n. 3, p. 410-411, 2004. Disponível em: http://publicculture.dukejournals.org/cgi/reprint/16/3/407. Acesso em: 22 mar. 2022.

Downloads

Publicado

2022-07-01 — Atualizado em 2022-11-02

Versões

Como Citar

PEREIRA MARTINS, P. Arquitetura como infraestrutura: o desafio de projetar a cidade contemporânea. Cadernos de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 41–53, 2022. DOI: 10.5935/cadernospos.v22n2p41-53. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/cpgau/article/view/arquitetura.como.infraestrutura.cadernos.pos.au.2022.2. Acesso em: 23 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos