Organizações, instituições e tecnologia na agroindústria sucroalcooleira: aplicação da abordagem de sistema setorial de inovação

  • Paula Pradines de Albuquerque Universidade Federal de Alagoas
  • Luciana Peixoto Santa Rita Universidade Federal de Alagoas
  • Francisco Peixoto Rosário Universidade Federal de Alagoas
  • Josealdo Tonholo Universidade Federal de Alagoas

Resumo

O trabalho investiga as interações entre os agentes econômicos, verificando a premissa de que a inovação e a competitividade em uma indústria são sistêmicas, que co-evoluem. Nesse sentido, utilizou-se a abordagem de Sistema Setorial de Inovação definida por Malerba (2002), analisando a relação entre as dimensões de análise: organizações, tecnologias e instituições, na Indústria Sucroalcooleira de Alagoas, o maior produtor e exportador de açúcar e etanol da região Nordeste. Após uma pesquisa exploratória e descritiva, os resultados apontaram para uma interação positiva entre estas três dimensões de análise; mostraram que há interação entre as universidades e os centros de pesquisa; e que grande parte do avanço tecnológico advém de parcerias públicas e privadas. Destaca-se que o esforço de pesquisa se concentra na área genética e em inovações de processos. O estudo, assim, indica que há um sistema de inovação localmente circunscrito.

Biografia do Autor

Paula Pradines de Albuquerque, Universidade Federal de Alagoas
Mestranda em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Alagoas, atualmente como aluna externa na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Possui graduação em Administração pela Universidade Federal de Alagoas (2009). Participação em: empresa junior, projeto de extensão, iniciação científica e empresa privada. Linha de pesquisa: Inovação e Competitividade.
Luciana Peixoto Santa Rita, Universidade Federal de Alagoas

Possui graduação em Economia pela Universidade Federal de Alagoas (1993), graduação em Direito pelo Centro de Estudos Superiores de Maceió (1994), mestrado em Administração pela Universidade Federal de Alagoas (1999) e doutorado em Administração pela Universidade de São Paulo (2004). Atualmente é professor adjunta da Universidade Federal de Alagoas e Consultora Ad hoc do INEP/MEC. Atua como pesquisa nas seguintes áreas: competitividade, arranjos produtivos locais, sistemas de inovação, marketing, educação a distância

Francisco Peixoto Rosário, Universidade Federal de Alagoas

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Alagoas (1994), mestrado em Administração pela Universidade Federal de Alagoas (2000) e doutorado em Economia da Indústria e da Tecnologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2008). É professor adjunto da Universidade Federal de Alagoas, do curso de economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEAC. Trabalho na área de Economia Industrial e da Inovação, com ênfase em estudos setoriais e agroindústria. Atualmente coordena o mestrado em Economia da FEAC/UFAL e o Grupo de Estudos em Agroindústria e Inovação na UFAL. É, também, componente do INFOSUCRO/UFRJ e do Grupo de Pesquisa em Sistemas Agroindústriais, Inovação e Competitividade

Josealdo Tonholo, Universidade Federal de Alagoas

Bacharel e Licenciado em Química pela Faculdade de Filosofia Ciencias e Letras de Ribeirão Preto (1988), mestrado e doutorado em Físico-Química pelo Instituto de Química de São Carlos(1991 e 1997), ambos da Universidade de São Paulo. Atualmente é Prof. Associado 3 da Universidade Federal de Alagoas, onde ocupa a posição de Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação. Foi Diretor da ANPROTEC (2003-2009).É presidente do Instituto do Bambu e Conselheiro do Conselho Regional de Química XVII Região - AL. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Eletroquímica, atuando principalmente nos seguintes temas: degradação de petróleo e derivados, anodo dimensionalmente estável, desprendimento de hidrogênio e produção de cloro e soda, corrosão, polímeros condutores e materiais odontológicos. Na área de Gestão em Ciência, Tecnologia e Inovação é ativo em Empreendedorismo Inovador, Interação Universidade-Empresa e Incubadoras de Empresas.

Publicado
2012-03-15
Seção
Artigos