Uso de substâncias psicoativas em idosos: uma revisão integrativa

Ana Diniz, Sandra Cristina Pillon, Sara Monteiro, Anabela Pereira, Joana Gonçalves, Manoel Antônio dos Santos

Resumo


Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, que teve por objetivo analisar a produção científica sobre o uso de substâncias psicoativas em idosos, focalizando suas condições sociodemográficas e clínicas. Foi realizada uma busca sistemática utilizando- se as bases Scopus, Web of Knowledge, Academic Search Premier, PubMed e ScienceDirect. Considerando os critérios de inclusão e exclusão, foram selecionados 13 estudos, sem restrição de período de tempo. Os idosos usuários de substâncias psicoativas caracterizam-se, predominantemente, por serem homens, com baixos níveis de escolaridade e renda, desocupação laboral, não casados e a habitar isoladamente, além de apresentarem comorbilidades orgânicas e psíquicas. O álcool é a droga mais comum nessa faixa etária, seguido do abuso de medicamentos; no entanto, o uso de substâncias ilícitas tem aumentado progressivamente. Ainda que as evidências sejam limitadas, estudos indicam menores taxas de comportamentos de alto risco para saúde em idosos. A literatura é consensual sobre a necessidade de mais estudos, de modo a preencher as lacunas do conhecimento e facilitar a identificação precoce desses utentes.

Palavras-chave: idosos; usuários de drogas; transtornos relacionados ao uso de substâncias; uso indevido de medicamentos sob prescrição; prática baseada em evidência.


Texto completo:

PDF