Representações Sociais dos Catadores de um Aterro Sanitário: o Convívio com o Lixo

Conteúdo do artigo principal

Eliane Ramos Pereira
Rose Mary Costa Rosa Andrade Silva
Flávio Pinto de Mello
Denize Cristina de Oliveira
Marcos Andrade Silva

Resumo

Os catadores de lixo constituem trabalhadores informais em amplo crescimento que sobrevivem da catação em aterros ou lixões, o que implica um modo peculiar de vida com repercussões sociais, psíquicas e na saúde. O estudo objetivou descrever as representações sociais dos catadores acerca do trabalho cotidiano com lixo e o convívio social como catadores. Trata-se de estudo qualitativo baseado na teoria das representações sociais, no qual se utilizou a técnica de análise de conteúdo. Foram entrevistados 12 catadores de aterro sanitário em Niterói, no Rio de Janeiro. As representações dos catadores configuram-se em duas matrizes simbólicas, as quais mostram a vinculação do lixo à imagem do catador, que vivencia estigma, desamparo e sentimento de vergonha diante do preconceito da sociedade, e exclusão social; além disso, essas matrizes mostram a dualidade exclusão/inclusão e os dilemas entre necessidade de sustento e enfrentamento dos riscos, sem perspectivas de futuro melhor. Conclui-se que os catadores refletem os impactos psicossociais que sofrem por trabalhar no lixo e, por isso, necessitam de ações profissionais e governamentais inclusivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Pereira, E. R., Silva, R. M. C. R. A., Mello, F. P. de, Oliveira, D. C. de, & Silva, M. A. (2012). Representações Sociais dos Catadores de um Aterro Sanitário: o Convívio com o Lixo. Revista Psicologia: Teoria E Prática, 14(3), 34–47. Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/article/view/4165
Seção
Artigos

Referências

ALLPORT, G. W. The nature of prejudice. Cambridge: Addison-Wesley, 1954.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. Apresentação de projetos de aterros de resíduos sanitários sólidos urbanos. Procedimento NBR 8419/84. Brasília; 2004.

ARRUDA, A. Teoria das Representações Sociais e teorias de gênero. Cadernos de Pesquisa, n.117, p.127-147. 2002.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2009.

BERGER, P. L. & LUCKMANN, T. A construção social da realidade. Petrópolis: Vozes. 1985.

CAMPOS, F. C. B. Psicologia e saúde: repensando práticas. 2a ed. São Paulo: Editora Hucitec, 2010.

DALL’AGNOL, C. M. Fernandes FS. Saúde e autocuidado entre catadores de lixo: vivências no trabalho em uma cooperativa de lixo reciclável. Rev. Latino-americana de Enfermagem, v. 15, n.esp, 2007.

EIGENHEER, E. M. Lixo, Vanitas e Morte: Considerações de um observador de resíduos. Niterói: EdUFF, 2003.

GAMA, C. A. P.; KODA, M. Y. Cooperativismo e reciclagem de resíduos sólidos: uma reflexão a partir da psicanálise de grupos. Cad. Psicol. Soc. Trab., v.13, n.2, p. 209-224, 2010.

GOFFMAN, E. Estigma - Notas sobre a Manipulação da Identidade Deteriorada. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988.

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: ______. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 17-44.

MAGERA M. Os empresários do lixo: um paradoxo da modernidade. Campinas: Átomo, 2003.

MEDEIROS, J. G. et al. Efeitos de sinalização por meio de legendas sobre o comportamento de separar lixo em restaurante de uma universidade pública. Psicologia: Teoria e Prática, v. 12, n. 2, p.127-143, 2010.

MEDEIROS, L. F. R.; MACEDO, K. B. Profissão: catador de material reciclável, entre o viver e o sobreviver. Rev. Bras. Gestão & Desenv. Reg., v. 3, n. 2, p. 72-94, 2007.

Catador de material reciclável: uma profissão para além da sobrevivência? Psicol. & Socied., v. 18, n. 2, p. 62-71, 2006.

MORAES, Roque. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

MOSCOVICI, S. A invenção da sociedade. Petrópolis: Vozes, 2011.

Representações sociais: investigações em psicologia social. 2ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

OLIVEIRA, D. C. Análise de Conteúdo Temático-Categorial: uma proposta de sistematização. Rev. Enferm. (UERJ), v.16, v. 4, p. 569-76, 2008.

PORTO M. F. S.; JUNCA D. C. M.; GONÇALVES, R. S.; FILHOTE, M. I. F. Lixo, trabalho e saúde: um estudo de caso com catadores em um aterro metropolitano do Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública, v. 20, n. 6, p. 1503-1514, 2004.

ROZMAN, M. A. et al. HIV infection and related risk behaviors in a community of recyclable waste collectors of Santos, Brazil. Rev. Saúde Pública, v. 42, n. 5, p. 838-843, 2008.

SÁ, C. P. A construção do objeto de pesquisa em representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998.

SANTOS, G. O.; SILVA, L. F. F. Os significados do lixo para garis e catadores de Fortaleza (CE, Brasil). Ciênc. Saúde Coletiva, v. 16, n. 8, p. 3413-3419, 2011.

SILVA, R. M. C. R. A; PEREIRA, E. R.; SANTO, F. H. E.; SILVA, M. A. Cultura, saúde e enfermagem: o saber, o direito e o fazer crítico-humano. Rev. Eletr. Enf., v. 10, n. 4, p. 1165-1171, 2008.

SISINNO, C. L. S.; MOREIRA, J. C.; Avaliação da Contaminação e poluição ambiental na área de influência do Aterro Controlado do Morro do Céu (Niterói, RJ). Cad. Saúde Pública, v. 12, n. 4, p. 515-523, 1996.

SISINNO, C. L. S.; OLIVEIRA, R. M. Resíduos sólidos, ambiente e saúde: uma visão multidisciplinar. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ; 2000.

TEIXEIRA, M. C. T. V.; SCHULZE, C. M. N.; CAMARGO, B. V. Representações sociais sobre a saúde na velhice: um diagnóstico psicossocial na Rede Básica de Saúde. Estud. Psicol. (Natal), vol.7, n.2, p. 351-359, 2002.

VELLOSO, M. P. Da produção do lixo à transformação do resto. Ciênc. Saúde Coletiva, v. 15, n. 4, 2229-2249, 2010.