Critérios de Indicação para Psicoterapia Breve de Crianças e Pais

Autores

  • Iraní Tomiatto de Oliveira Universidade Presbiteriana Mackenzie

Palavras-chave:

Psicoterapia Breve, Criança, Indicação Terapêutica, Pais, Relação Pais-Criança

Resumo

Este trabalho visa discutir aspectos relevantes relacionados a critérios de indicação para psicoterapia psicodinâmica breve de crianças e pais. Faz um levantamento dos critérios adotados por autores que estudaram o tema e ressalta a necessidade de se levar em conta não só as características do paciente, mas também as do terapeuta e as do contexto onde se realiza o atendimento. No que se refere aos pacientes, sugere que sejam considerados entre os critérios de indicação: nível de dependência da criança, tipo e intensidade das expectativas que os pais têm em relação a esta criança, o quanto os pais se vêem envolvidos no problema, possibilidades dos pais de tolerar mudanças, possibilidades de estabelecer uma aliança terapêutica, condições ps íquicas e nível de desenvolvimento da criança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CRAMER, B. (1974). Interventions thérapeutiques brèves avec parents et enfants. Psyquiatrie de l’Enfant, 17 (1): 53-117.

DIGIUSEPPE, R.; LINSCOTT, J.; JILTON, R. (1996). Developing the therapeutic alliance in child-adolescent psychotherapy. Applied and Preventive Psychology, 5: 85-100.

FREUD, S. (1914). Introduccion al narcisismo In: Obras completas de Sigmund Freud. Trad. Luis Lopez Ballesteros y de Torres. Madrid. Biblioteca Nueva, 1973, p. 2017-2033.

KNOBEL, M. (1986). Psicoterapia breve. São Paulo. E. P. U.

KNOBEL, M. (1997) Psicoterapia breve em crianças e adolescentes. In: Fichtner, N. (org.) Transtornos mentais da infâcia e da adolescência. Porto Alegre. Artes Médicas Sul, p. 208-219.

LESTER, E. P. (1967). La psychothérapie brève chez l’enfant en période de latence. Psychiatrie de l’Enfant, 10 (1): 199-235.

LESTER, E. P. (1968). Brief psychotherapies in child psychiatry. Canadian Psychiatric Association Journal, 13 (4): 301-309.

MACKAY, J. (1967). The use of brief psychotherapy with children. Canadian Journal of Psychiatry, 12: 269-278.

MANZANO, J.; PALACIO-ESPASA, F. (1993) Introducción: Estado actual de las terapias en psiquiatría del niño y del adolescente. In: Manzano, J.; Palacio-Espasa, F. (Org.) Las terapias en psiquiatría infantil y en psicopedagogía. Trad. Fernando Pardo Gello. Barcelona. Paidós Ibérica.

MESSER, S. B.; WARREN, C. S. (1995). Models of brief psychodynamic therapy- a comparative approach. New York. The Guilford Press.

OCAMPO, M. L. S.; GARCÍA ARZENO, M. E. (1979). Indicadores para a recomendação de terapia breve extraídos da entrevista de devolução. In: Ocampo, M. L. S.; García Arzeno, M. E.; Piccolo, E. G. et alii O processo psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. Trad. Miriam Felzenszwalb. São Paulo. Martins Fontes, p. 385-393.

OLIVEIRA, I. T. (1999a). Psicoterapia psicodinâmica breve: dos precursores aos modelos atuais. Psicologia: Teoria e Prática, 1 (2): 9-19.

OLIVEIRA, I. T. (1999b) Atendimento psicológico em clínica-escola: uma avaliação comparativa dos serviços oferecidos. São Paulo. 156p. Dissertação (Mestrado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

OLIVEIRA, I. T.; MITO, T. I. H. (1997). Reações vivenciais familiares em psicoterapia breve. In: Segre, C. D. (org.) Psicoterapia breve. São Paulo. Lemos, p. 137-154.

PALACIO-ESPASA, F. (1984). Indications et contra-indications des approches psychothérapeutiques brèves des enfants d’âge préscolaire et de leurs parents. Neuropsyquiatrie de l’Enfant, 32 (12): 591-600.

PALACIO-ESPASA, F. (1985). Les indications thérapeutiques en psyquiatrie infantile et l’implication de la famille. Archives Suisses de Neurologie, Neurocirurgie et de Psychiatrie, 136 (6): 165-173.

PROCHASKA, J.; DICLEMENTE, C. (1988). The transtheoretical approach to therapy. Chicago. Dorsey Press.

PROSKAUER, S. (1969). Some technical issues in time-limited psychotherapy with children. Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry, 8: 154-169.

PROSKAUER, S. (1971). Focused time-limited psychotherapy with children. Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry, 10: 619-639.

SIMON, R. (1981). Formação do psicoterapeuta para a realidade brasileira. Boletim de Psicologia da Sociedade de Psicologia de São Paulo, 33 (81): 67-73.

SIMON, R. (1983). Psicologia clínica preventiva: novos fundamentos. (2a. ed.) São Paulo. E.P.U., 1989.

YOSHIDA, E. M. P. (1990). Psicoterapias psicodinâmicas breves e critérios psicodiagnósticos. São Paulo. E.P.U..

Downloads

Publicado

01.01.2002

Como Citar

Oliveira, I. T. de. (2002). Critérios de Indicação para Psicoterapia Breve de Crianças e Pais. Revista Psicologia: Teoria E Prática, 4(1), 39–48. Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/article/view/1076

Edição

Seção

Artigos