Crenças sobre o câncer infantil: percepção de sobreviventes e mães

Elisa Kern de Castro, Franciele Peloso, Luísa Vital, Maria Júlia Armiliato

Resumo


As crenças sobre a doença referem-se a esquemas mentais que as pessoas constroem a partir de sua experiência direta ou indireta e que se relacionam com o seu comportamento em saúde e autorregulação. Em sobreviventes de câncer infantil, suas crenças ajudam a compreender seus comportamentos no período pós-tratamento. Objetivou-se examinar as crenças sobre o câncer infantil em 27 sobreviventes e 49 mães que responderam a questionários sociodemográficos e de percepção da doença numa plataforma online. Os resultados apontaram que a as mães perceberam o câncer infantil como uma doença crônica, com sintomas cíclicos, com consequências e representação emocional mais negativas que os sobreviventes. Ainda, as mães referiram compreender sobre a doença e acreditar no controle pessoal e do tratamento num nível mais elevado que os sobreviventes. Conclui-se que o fato dos sobreviventes perceberem o câncer infantil de maneira mais positiva possa indicar uma ressignificação da experiência de forma adaptativa.

Palavras chaves: Câncer, câncer em crianças, crenças em saúde, autorregulação, percepção da doença.


Texto completo:

PDF PDF (English)


ISSN 1980-6906 (on-line)