As falas feminina e masculina no Karajá e no Kadiwéu

  • Amanda Diniz Vallada UFG

Resumo

Este artigo, que se encontra filiado aos estudos de tipologia linguística (WHALEY, 1997), tem como objetivo abordar as diferenças entre fala feminina e fala masculina nas línguas indígenas do Brasil. As línguas escolhidas foram o Karajá (Macro-Jê) e o Kadiwéu (Guaikuru), visto que ambas já contam com descrições e levantamentos que tratam especificamente deste assunto: a dissertação e artigo de Borges (1997; 2004, respectivamente) sobre o Karajá e a dissertação sobre o Kadiwéu de Souza (2012). Verifica-se que, tanto no Karajá quanto no Kadiwéu, as diferenças se concentram no nível fonológico, através de processos de ressilabificação, no caso do Karajá, e também no nível fonético, no caso do Kadiwéu.

Referências

AUSTIN, John Langshaw. How to do things with words. Oxford: Oxford University Press, 1962.

BORGES, Mônica. As falas feminina e masculina no Karajá. 1997. 286 f. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal de Goiás, 1997.

BORGES, Mônica. Diferenças entre as falas feminina e masculina no Karajá e em outras línguas brasileiras: aspectos tipológicos. Liames, v. 4, p. 103-113, 2004.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero. 19. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019.

CAMERON, Deborah. The feminist critique of language: a reader. 2. Ed. Abingdon: Routledge, 2005.

JESPERSEN, Otto. The woman. In: CAMERON, Deborah. (Ed.). The feminist critique of language: a reader. 2. Ed. Abingdon: Routledge, 2005, p. 225-241.

LAKOFF, Robin. Language and Women’s Place. Nova York: Harper and Now, 1975.

SOUZA, Lilian. Descrição da fala feminina e fala masculina na língua kadiwéu. 2012. 143 f. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, 2012.

TANNEN, Deborah. You just don’t understand: women and men in conversation. Nova York: William Morrow, 1990.

WHALEY, Lindsay. Introduction to typology: the unity and diversity of language. Thousand Oaks, EUA: Sage Publications, 1997.

Publicado
2020-07-07
Como Citar
Diniz Vallada, A. (2020). As falas feminina e masculina no Karajá e no Kadiwéu. Cadernos De Pós-Graduação Em Letras, 20(1), 251-263. Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/cpgl/article/view/12728