Paraíba em cena: Lourdes Ramalho e a busca por uma historiografia do teatro campinense

MONALISA BARBOZA SANTOS

Resumo


Este trabalho reflete sobre uma história do teatro no Brasil para além do eixo Rio-São Paulo, evidenciando as práticas da tradição teatral paraibana, no município de Campina Grande. Discute-se aspectos do teatro moderno, notadamente focando nas contribuições da dramaturga Maria de Lourdes Nunes Ramalho para melhor compreensão de nossa cena teatral. Trata-se de uma pesquisa documental, que visa recuperar a perspectiva cíclica da obra ramalhiana, partindo das discussões empreendidas por Maciel (2012) e Andrade (2005;2012), além das relações entre texto, cena e palco para o entendimento do teatro moderno, seguindo as contribuições de Brandão (2001;2009). Esse artigo explicita a importância do preenchimento dos pontos escuros de uma historiografia do teatro campinense, em processo de escritura.  

Palavras-chave: dramaturgia ramalhiana, teatro moderno, encenação. 


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Valéria. Lourdes Ramalho e o ofício de escrever-pensar teatro. In: GOMES, André Luís; MACIEL, Diógenes A. V, (Orgs). Penso Teatro: dramaturgia, crítica e encenação. Vinhedo, SP: Editora Horizonte, 2012. p. 220-238.

ANDRADE, Valéria. SCHNEIDER, Liane; MACIEL, Diógenes. O teatro feminino-feminista-libertário de Lourdes Ramalho. Faces de Eva. nº 21. Edições Colibri. Universidade de Nova Lisboa, 2008. p. 63-78.

ANDRADE, Valéria. A força nas anáguas: matizes de hispanidade na dramaturgia de Lourdes Ramalho. In: MALUF, Sheila Diab. AQUINO, Ricardo Bigi de (orgs). Reflexões sobre a cena. Maceió: EDUFAL, Salvador: EDUFBA, 2005. p. 315-331.

BRANDÃO, Tânia. Uma empresa e seus segredos: Companhia Maria Della Costa. São Paulo: Perspectiva: Rio de Janeiro: Petrobrás, 2009.

BRANDÃO, Tânia. Artes cênicas: por uma metodologia da pesquisa histórica. In: CARREIRA, André [et. al.]. Metodologia de pesquisa em artes cênicas. Rio de Janeiro: 7Letras, 2006. p. 105-119.

BRANDÃO, Tânia. Ora, direis ouvir estrelas: historiografia e história do teatro brasileiro. Sala Preta, São Paulo, ano 1, v. 1, p. 199-217, 2001.

DIAZ-PLAJA, Guillermo. Federico Garcia Lorca: um estúdio crítico. Buenos Aires: Guillermo Kraft, 1948.

DINOÁ, Ronaldo. D. Lourdes Ramalho: uma mulher a serviço da cultura teatral campinense. Diário da Borborema, Campina Grande, 05 set. 1982. p. 2-3.

MACIEL, Diógenes A. V. Lourdes Ramalho e a construção de uma obra em ciclos. Scripta Uniandrade, v. 10, n. 1, p. 92-108, jan.-jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 de julho de 2016.

“Mal-amados” estréia hoje no Santa Roza a partir de 21 horas. O Norte. João Pessoa, 6 mai. 1977. p. 3.

MORAES, José Marcos Batista de. Do texto à cena, da cena ao texto: Reflexões sobre diferentes encenação d'as velhas, de Lourdes Ramalho. 2014. 122 f. Dissertação (Mestrado) - Mestrado em Literatura e Interculturalidade, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2014.

PAVIS, Patrice. Para uma teoria de Cultura e de Encenação. In: O teatro no cruzamento de culturas. São Paulo: Perspectiva: 2008. p. 1-42.

Peça “os mal-amados” fará sua temporada no Sta. Roza. O Norte. João Pessoa, 23 abr. 1977. p. 5.

QUEIROZ, Paulo. Lourdes Ramalho: por um teatro paraibano. Os mal-amados: uma tragédia sertaneja. Lourdes Ramalho: por um teatro paraibano. O Norte. João Pessoa, 27 mai. 1977.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.