A interação das culturas bantu e portuguesa numa tirinha Moçambicana

Nancy Aparecida Arakaki, Victor Matheus da Costa

Resumo


Este artigo pretende demonstrar como se dá a construção de sentido no gênero tirinha  a partir da concepção de que texto é um evento comunicativo em que locutor-texto-interlocutor interagem a partir de seus conhecimentos sociocognitivos armazenados na memória de longo termo. Para tanto, apoiamo-nos na teoria da Linguística Textual mais precisamente nas discussões apresentadas por Koch e Elias (2006); Cavalcante (2012) e Marcuschi (2005) para analisar a tirinha, fazendo comentários a respeito do contexto cultural moçambicano.


Texto completo:

PDF

Referências


CAVALCANTE, Monica Magalhães. Os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2012.

KOCH, Ingedore Villaça ; ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender: os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2006.

LOPES, Armando Jorge. Moçambicanismos para um léxico de usos do Português Moçambicano. Maputo: Livraria Universitária, 2002.

LOPES, Armando Jorge. A batalha das línguas. Maputo: Imprensa Universitária, 2004.

MARCUSCHI, Luiz Antonio. Gêneros textuais: configuração, dinamicidade e circulação. In: KARWOSKI, Acir Mario et al. Gêneros textuais: reflexões e ensino. Palmas e União da Vitoria, PR, Kaygangue, 2005.

RAMOS, Paulo Eduardo. Tiras cômicas e piadas: duas leituras, um efeito de humor. Tese (Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: . Acesso em: 4 de março de 2016.

ZIMBA, Sergio. Ri amor. Maputo: Diname, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.