Impacto da Adoção do Padrão IFRS no Custo de Capital Próprio das Empresas de Capital Aberto no Brasil

  • Rafael Confetti Gatsios Faculdade de Economia Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEARP- USP
  • José Marcos da Silva Faculdade de Economia Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEARP- USP
  • Marcelo Augusto Ambrozini Faculdade de Economia Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEARP- USP
  • Alexandre Assaf Neto FIPECAFI - Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras.
  • Fabiano Guasti Lima Faculdade de Economia Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEARP- USP
Palavras-chave: Custo de capital de próprio. CAPM. Adoção do padrão IFRS. Qualidade da informação contábil. Brasil.

Resumo

Objetivo: Este trabalho se propõe a avaliar o impacto da adoção do padrão IFRS sobre o custo de capital próprio das empresas de capital aberto no Brasil.

Originalidade/Lacuna/Relevância/Implicações: A adoção do padrão International Financial Reporting Standards (IFRS) apresenta como objetivo o aumento da qualidade das informações contábeis. Estudos realizados para a Europa indicam que após a adoção do padrão IFRS se verificou a redução do custo de capital próprio das empresas devido a redução da assimetria de informação e do risco.

Principais aspectos metodológicos: O estudo foi realizado no período de 2004 a 2013. O custo de capital próprio foi calculado por meio do Modelo CAPM (Capital Asset Pricing Model) adaptado ao caso brasileiro. A metodologia utilizada foi a de análise de diferenças em diferenças, comparando os resultados de empresas que adotaram voluntariamente o padrão IFRS com empresas que adotaram o padrão IFRS após o período de adoção obrigatória.

Síntese dos principais resultados: Os resultados indicam que a adoção do padrão IFRS não contribui para a redução do custo de capital próprio no Brasil.

Principais considerações/ conclusões: Sugerindo assim que o processo de adoção do padrão internacional de contabilidade pode levar um maior tempo para impactar o custo de capital próprio das empresas brasileiras de capital aberto, uma vez que o impacto do padrão IFRS não está relacionado apenas com a adoção da norma, mas também com seu uso pelas empresas e usuários.

Publicado
2016-09-15
Seção
Finanças Estratégicas