Impacto da Adoção do Padrão IFRS no Custo de Capital Próprio das Empresas de Capital Aberto no Brasil

Rafael Confetti Gatsios, José Marcos da Silva, Marcelo Augusto Ambrozini, Alexandre Assaf Neto, Fabiano Guasti Lima

Resumo


Objetivo: Este trabalho se propõe a avaliar o impacto da adoção do padrão IFRS sobre o custo de capital próprio das empresas de capital aberto no Brasil.

Originalidade/Lacuna/Relevância/Implicações: A adoção do padrão International Financial Reporting Standards (IFRS) apresenta como objetivo o aumento da qualidade das informações contábeis. Estudos realizados para a Europa indicam que após a adoção do padrão IFRS se verificou a redução do custo de capital próprio das empresas devido a redução da assimetria de informação e do risco.

Principais aspectos metodológicos: O estudo foi realizado no período de 2004 a 2013. O custo de capital próprio foi calculado por meio do Modelo CAPM (Capital Asset Pricing Model) adaptado ao caso brasileiro. A metodologia utilizada foi a de análise de diferenças em diferenças, comparando os resultados de empresas que adotaram voluntariamente o padrão IFRS com empresas que adotaram o padrão IFRS após o período de adoção obrigatória.

Síntese dos principais resultados: Os resultados indicam que a adoção do padrão IFRS não contribui para a redução do custo de capital próprio no Brasil.

Principais considerações/ conclusões: Sugerindo assim que o processo de adoção do padrão internacional de contabilidade pode levar um maior tempo para impactar o custo de capital próprio das empresas brasileiras de capital aberto, uma vez que o impacto do padrão IFRS não está relacionado apenas com a adoção da norma, mas também com seu uso pelas empresas e usuários.


Palavras-chave


Custo de capital de próprio. CAPM. Adoção do padrão IFRS. Qualidade da informação contábil. Brasil.

Texto completo:

PDF (English)