Interrupção/assalto ao turno, o papel do gênero e o efeito cultural

  • Rebeca Rodrigues de Santana Universidade Federal de Sergipe

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo caracterizar o turno conversacional e seus aspectos constitutivos, para que a partir do que se tem se definido para o turno conversacional e para os fenômenos que por meio dele ocorrem, identificar as propostas para tratamento das condições de interrupção e colaboração no assalto ao turno, com especial ênfase no papel do gênero dos interlocutores e no papel cultural da interrupção: em diferentes línguas, prevalecem diferentes culturas. Por isso, o padrão de interrupção pode ser visto de modo diferente, a depender do contexto pragmático.

Palavras-chave: Assalto ao turno/interrupção. Gênero. Cultura.

Biografia do Autor

Rebeca Rodrigues de Santana, Universidade Federal de Sergipe

Mestranda em Letras pela Universidade Federal de Sergipe. Bolsista CNPq e membro do Grupo de Estudos em Linguagem Interação e Sociedade – GELINS. E-mail: rebeca.rodrigues.17@gmail.com

Referências

ARAUJO, A. S. ; FREITAG, R. M. K. . A forma de futuro do pretérito no português do brasil e a função de polidez. Forma y Funcion, v. 28, p. 79-97, 2015.

DIONÍSIO, Angela Paiva. Analise da conversação. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina (orgs.). Introdução à linguística: domínios e fronteiras, v. 2. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

FREITAG, R. M. K.. Marcadores discursivos não são vícios de linguagem. Interdisciplinar : Revista de Estudos em Língua e Literatura, v. 4, p. 22-43, 2007.

FREITAG, R. M. K.; PINHEIRO, B. P.; SILVA, L. S. Análise variacionista de pausas preenchidas em fronteiras de constituintes. In: FREITAG, R. M. K.; LUCENTE, L. (Org.). Prosódia da fala: pesquisa e ensino. São Paulo: Blucher, p. 117-132, 2017.

FREITAG, R. M. K.; SILVA, R. B. ; EVANGELISTA, F. S. R. . Marcadores discursivos interacionais. Diacritica, v. 31, p. 20-75, 2017.

GALEMBECK, Paulo de Tarso; COSTA, Nonalíssia Silva da. Alternância e participação: a distribuição de turnos na interação simétrica. CELLI – Colóquio de estudos linguísticos e literários. 3, 2007, Maringá. Anais.Maringá, 2009, p. 1937-1944.

GUMPERZ, J. J; COOK-GUMPERZ, J. Introduction: language and the communication of social identity. In: GUMPERZ, J.J. (org). Languagem and social identity. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

MARCUSHI, Luiz Antônio. Análise da conversação. 5. ed. São Paulo: Ática, 2003.

MAREGA, L. M. P.; JUNG, N. M. A sobreposição de falas na conversa cotidiana: disputa pela palavra?. Veredas, v. 1, p. 321-337, 2011.

MENDONCA, J. J. ; FREITAG, R. M. K. . Primeira pessoa do plural com referência genérica e a polidez linguística. Soletras, v. 0, p. 39-57, 2016.

MURATA, Kumiko. Intrusive or co-operative? A cross-cultural study of interruption. Journal of Pragmatics. North-Holland, p. 385-400, 1994.

Murray, Stephen.. Toward a Model of Members' Methods for Recognizing Interruptions. In: Language in Society, 1985, p. 31-40.

OKAMOTO, D.G., RASHOTTE, L.S., SMITH-LOVIN, L. Measuring interruption: Syntactic and contextual methods of coding conversation. Social Psychology Quarterly. University of California , p.38-55, 2002.

OLIVEIRA, Marilucia. A participação do interlocutor na construção do tópico convsersacional. MOARA – Revista dos cursos de Pós-Grad. em Letras da UFPA. Belém, n. 13, p. 63-73, 2000.

SACKS, H., SCHEGLOFF, E. JEFFERSON, G. (1974). A Simplest Systematics for the Organizationof Turn Taking for Conversation. Traduzido por Maria Clara CastellõesOliveira e Paulo Cortes Gago (org.). VEREDAS - Rev. Est. Ling, Juiz de Fora, v.7, n.1 e n.2, p.9-73, 2003.

SANTANA, R. R. Funções discursivas dos marcadores olhe, olha e repare na fala sergipana. A Cor das Letras, v. 19, n. Especial, p.136-149, 2018.

SANTANA, R. R.; FREITAG, R. M. K. Assalto ao Turno em Interações Assimétricas de Sexo/Gênero. (A SAIR)

SANTOS, K. C. ; FREITAG, R. M. K. . Efeitos de polidez na variação na primeira pessoa do plural. Veredas, v. 19, p. 136-159, 2016.

SOUZA-E-SILVA, M. C.; CRESCITELLI, M. C.. Interrupção. In: C. S. JUBRAN (org.). A construção do texto falado. São Paulo: Contexto, 2015.

TANNEN, Deborah. Quem está interrompendo? Questões de dominação e controle. In: OSTERMANN, A. C.; FONTANA, B. (org.). Linguagem, sexo, sexualidade. São Paulo: Parábola Editorial, [1990] 2010, p. 67-92.

WEST, C.; ZIMMERMAN, D. H. (1987). Pequenos insultos: interrupções em conversas entre pessoas desconhecidas e de diferentes sexos. In: OSTERMANN, A. C.; FONTANA, B. (org.). Linguagem, sexo, sexualidade. São Paulo: Parábola Editorial, 2010, p. 49-66.

WEST, C.; ZIMMERMAN, D. Sex Roles, Interruptions and Silences in Conversations. In THORNE, B.; HENLEY, N.(org.) Language and Sex: Difference and Dominance,. Rowley: Newbury House. 1975, p. 29-105.

Publicado
2018-08-31
Como Citar
Santana, R. R. de. (2018). Interrupção/assalto ao turno, o papel do gênero e o efeito cultural. Cadernos De Pós-Graduação Em Letras, 18(2). Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/cpgl/article/view/11088