O cortiço: (des)construindo identidades e estabelecendo relações com o século XXI

Luciana Paula Bento Luciani

Resumo


O presente artigo tem como objetivo examinar o romance O cortiço (1890) de Aluísio Azevedo sob a perspectiva dos Estudos Culturais no que concerne à (des)construção de identidades dos personagens pelo meio que estão inseridos. Além dessa análise e também à luz dos estudos humanísticos, busca estabelecer uma aproximação entre O cortiço e as considerações sobre classes sociais abordadas em estudos do sociólogo Jessé Souza (2009, 2010), no que tange à formação e ao deslocamento identitário dos atores da ficção e vida real. Dessa forma, este trabalho discute a tese social desse livro de Aluísio Azevedo, no momento sócio-histórico em que foi escrito, e propõe um diálogo com a atualidade.


Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, A. O cortiço. Cotia: Ateliê Editorial, 2012.

BOSI, A. História concisa da literatura brasileira. 48. ed. São Paulo: Cultrix, 2012.

CANDIDO, A. De Cortiço a Cortiço. In: AZEVEDO, A. O cortiço. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

CHALHOUB, S. Cidade febril: cortiços e epidemias na Corte imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

FREYRE, G. Sobrados e mucambos: decadências do patriarcado rural e desenvolvimento do urbano. 13. ed. Rio de Janeiro: Record, 2002.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução Tomaz Tadeu da Silva. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

________. Quem precisa de identidade? In: SILVA, T. T. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Tradução Tomaz Tadeu da Silva. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2013, p. 103-133.

HANNA, V. L. H. Muito além da universidade: as Humanidades e as Letras. Revista Verbum, n. 11, p. 4-11, jul. 2016. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2017.

MENDES, T. Cortiços do século XXI sobrevivem em meio à modernização do Rio. O Globo, Rio de Janeiro, 10 nov. 2013. Disponível em: . Acesso em: 02 set. 2017.

MÉRIAN, J. Y. Aluísio Azevedo: vida e obra (1857-1913). Rio de Janeiro: Garamond, 2013.

SEVCENKO, N. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SILVA, T. T. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, T. T. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2013, p. 73-102.

SOUZA, J. Os batalhadores brasileiros: nova classe média ou nova classe trabalhadora? 2. ed. rev. e ampl. Belo Horizonte: UFMG, 2012.

________. Ralé brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: UFMG, 2009.

SPREJER, P. O cortiço, cem anos depois de Aluísio Azevedo. O Globo, Rio de Janeiro, 25 maio 2013. Disponível em: . Acesso em: 02 set. 2017.

WOODWARD, K. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, T. T. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Tradução Tomaz Tadeu da Silva. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2013, p. 7-72.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.