O mito e denúncia em “Preciosidade”, de Clarice Lispector

Dafne di Sevo Rosa, Thiago Cavalcante Jeronimo

Resumo


Este estudo tem por objetivo interpretar o conto “Preciosidade”, de Clarice Lispector, estabelecendo um diálogo entre Dafne, figura mitológica, e a protagonista clariciana. Utilizando-se de alguns conceitos acerca do mito, presentes no livro Mito e realidade, de Mircea Eliade, e da questão dialógica da eventicidade do ser proposta por Mikhail Bakhtin, busca-se averiguar de que forma Clarice Lispector reatualiza o mito de Apolo e Dafne, materializado nas Metamorfoses, de Ovídio, em contexto com sua protagonista, corporificada no decênio de 1960, data da publicação de Laços de família, segundo livro de contos da autora.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVAREZ, Aurora Gedra Ruiz. As versões do mito de Narciso: do relato à imagem. In: ALVAREZ, Aurora Gedra Ruiz; LOPONDO, Lílian (org.). Leituras do duplo. São Paulo: Editora da Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2011. p. 63-99.

ALVAREZ, Aurora Gedra Ruiz; LOPONDO, Lílian. O eu e o outro: simples troca de chapéus? In: TREVISAN, Ana Lúcia; PEREIRA, Helena Bonito Couto; ATIK, Maria Luiza Guarnieri. Linguagens e saberes: estudos literários. São Paulo: Annablume/Mack Pesquisa, 2015. p. 49-63

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

______. Para uma filosofia do ato responsável. 2. ed. Trad. V. Miotello e C. A. Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2012.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. Trad. Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

DINIS, Nilson. A hora perigosa da tarde nos Laços de família: Clarice Lispector e o movimento feminista. In: Clarices: uma homenagem (90 anos de nascimento, 50 anos de Laços de família). Org. Fernanda Coutinho e Vera Moraes. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2012.

ELIADE. Mircea. Mito e realidade. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2010.

GOTLIB, Nádia Battella. Clarice: uma vida que se conta. 6. ed. rev. e aum. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

LISPECTOR, Clarice. Laços de família. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

______. Perto do coração selvagem. Rio de Janeiro: Rocco, 1998b.

______. A paixão segundo G. H. Rio de Janeiro: Rocco, 2014.

NASCIMENTO, Evando. Clarice Lispector: uma literatura pensante. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

NUNES, Benedito. O drama da linguagem: uma leitura de Clarice Lispector. São Paulo: Ática, 1995.

OVÍDIO, Públio. Metamorfoses. Trad: David Gomes Jardim Junior. São Paulo: Ediouro, 1983.

PICCHIO, Luciana Stegagno. Epifania de Clarice. Revista Remate de males, Campinas, n. 9, p. 17-29, 1989.

ROSENBAUM, Yudith. Clarice Lispector. São Paulo: Publifolha, 2002.

SÁ, Olga de. A escritura de Clarice Lispector. Petrópolis: Vozes; Lorena: Faculdades Integradas Teresa D’Avila, 1979.

SANT’ANNA, Affonso Romano de. O ritual epifânico do texto. In: SANT’ANNA, Affonso Romano de; COLASANTI, Marina. Com Clarice. São Paulo: Editora Unesp, 2013.

SANTOS, Elaine Cristina Prado dos; ZOCRATTO, Sérgio de Souza. Mito e Direito: as figuras femininas – Dafne e Eco – e a mulher Maria da Penha. Revista Todas as Letras (MACKENZIE. Online), v. 14, p. 147-154, 2012.

SOUSA, Carlos Mendes de. Clarice Lispector: figuras da escrita. São Paulo: Instituto Moreira Salles, 2012.

ZILBERMAN, Regina. Do pampa ao jardim, ou as peripécias de um centauro. Minas Gerais: Suplemento Literário. Ano XIV. Nº 770. Sáb 4 julho de 1981. p. 8-9. Disponível em: http://delfosdigital.pucrs.br/dspace/bitstream/delfos/231/1/000035637.pdf Acesso em: 29 set 2017.

ZINANI, C. J. A. Literatura e gênero. A construção da identidade feminina. Rio Grande do Sul: Educs, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.