O conhecimento do inferno de Antônio Lobo Antunes: a construção do espaço do sujeito a partir da perspectiva do outro

Murilo de Assis Macedo Gomes

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar um trecho da obra O conhecimento do inferno (1980) de Antônio Lobo Antunes, no qual o narrador do romance justapõe dois espaços distintos: em Luchazes (Angola), em meio à guerra colonial; e em Lisboa (Portugal), no Hospital Psiquiátrico Miguel Bombarda. Analisar-se-á de que maneira o narrador resignifica esses espaços a partir da perspectiva da alteridade, da personagem angolana, Antônio Miúdo. Para tanto, far-se-á uso da teoria do discurso literário de Bakhtin (2015) e da teoria da construção da identidade do sujeito de Landowski (2002).

Palavras-chave: Lobo Antunes; Alteridade; Lisboa.


Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES. Antônio Lobo. Conhecimento do inferno. Editora Objetiva-Alfaguara: Rio de Janeiro, 2006.

____________________. Memória de elefante. Editora Objetiva-Alfaguara: Rio de Janeiro, 1979.

_____________________. Os cus de Judas. Editora Objetiva-Alfaguara: Rio de Janeiro, 1979.

_____________________. Que cavalos são aqueles que fazem sombra no mar? Editora Objetiva-Alfaguara, 2009.

BAKHTIN. M. Teoria do romance: a estilística. Trad. Paulo Bezerra. Editora 34: São Paulo, 2015.

LANDOWSKI, Eric. Presenças do outro. Trad. Mary Amazonas Ribeiro de Barros. São Paulo: Perspectiva, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.