Um Moderno Radical: John Ruskin

Autores

  • Claudio Silveira Amaral Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp

Palavras-chave:

História, John Ruskin, Estética, Ética

Resumo

O objetivo deste ensaio é demonstrar que a historiografia da arquitetura moderna equivocou-se ao classificar John Ruskin como um neogótico, medievalista, adverso à Revolução Industrial. Ruskin foi, na verdade, um moderno filho do Iluminismo que se nutriu de categorias como, razão, lógica, ordem, natureza, trabalho...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudio Silveira Amaral, Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp

Professor doutor do curso de graduação e pós graduação da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp. Pós doutorado pela Ruskin Library and Research Centre da Universidade de Lancaster. Pós doutorado pela Fundação Casa de rui Barbosa do Ministério da Cultura. Mestrado e doutorado pela FAU USP, graduado pela FAU PUCC.

Downloads

Publicado

2016-08-28

Como Citar

AMARAL, C. S. Um Moderno Radical: John Ruskin. Cadernos de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 18, 2016. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/cpgau/article/view/2016.1%20Amaral. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos