Planos Territoriais Metropolitanos: governança, consenso e colaboração

Palavras-chave: Processo, História

Resumo

Este artigo trata do planejamento territorial metropolitano integrado. Apesar de que, no cotidiano da vida urbana, as fronteiras municipais foram esquecidas, ainda se busca uma estrutura de governança interfederativa que proporcione a prestação de serviços de melhor qualidade, equidade social e racionamento dos recursos. Este artigo se propôs a entender quais os fatores numa estrutura de governança podem determinar o bom andamento de planos territoriais metropolitanos. Percebeu-se que não há um modelo único de governança que possa ser replicado para garantir o sucesso do planejamento integrado. Nota-se, entretanto, que a vontade dos atores de colaborar é um fator determinante do sucesso do planejamento territorial metropolitano. Para atingir este consenso em prol da colaboração, esse estudo sugere que o ponto de partida do desenvolvimento de um plano territorial metropolitano deve contemplar alguns passos que se mostraram fundamentais para a construção do consenso, são eles: a interdependência dos participantes, a estrutura de incentivos oferecida e a representatividade adequada de cada ator no processo.

Biografia do Autor

Gabriela Stein Zacchi, Universidade Federal de Santa Catarina
Arquiteta e Urbanista (CAU A70375-3) graduada pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2011), especialista em Design de Interiores e Iluminação graduada pelo IPOG (2013), e mestre em Urbanismo, História e Arquitetura na Cidade pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2018). Trabalhou como pesquisadora na temática de planejamento urbano e regional no Brasil e na Espanha. 
Sergio Torres Moraes, Universidade Federal de Santa Catarina
Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (1983); especialização em Estudo e Restauro de Monumentos pela Universidade La Sapienza, Roma, Itália; mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1998) e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (2006), com sanduiche na Universidade da California em Berkeley. De março de 2015 a março de 2016 conduziu pesquisa de Pós Doutorado na École Normale Superiore (ENS) de Paris, departamento de geografia, sobre resiliência urbana e regional. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Santa Catarina atuando junto ao curso de graduação Arquitetura e Urbanismo e professor permanente do Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo (Pós Arq) na área de concentração História, Urbanismo e Arquitetura da Cidade. 
Publicado
2019-11-12
Seção
Artigos