ANÁLISE FISCAL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS NO ANO DE 2016, A PARTIR DO MODELO RPG

  • Marcio Marconato Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)
  • José Luiz Parré Universidade Estadual de Maringá (UEM)
  • Marcio Henrique Coelho Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Resumo

O objetivo deste artigo foi investigar a situação fiscal dos municípios brasileiros no ano de 2016, interligando as receitas e as despesas públicas, as atividades econômicas e mensurando os respectivos impactos. As cidades brasileiras exibem estruturas econômicas muito dispares. A transparência gerencial, aliada ao acesso às informações, pode contribuir para a formação da cidadania e melhoria da oferta de bens e serviços. Na metodologia foi utilizado o método de Regressão Ponderada Geograficamente (RPG), estruturado com base nas seguintes variáveis: quociente do resultado de execução financeira; receita própria; receita do governo estadual; receita do governo federal; despesa com pessoal; produto interno bruto per capita; e a participação da indústria. Os resultados apontaram que o cenário fiscal dos municípios das regiões Sul e Sudeste foram os melhores, quando comparados com as demais regiões. Com relação ao porte e a localização geográfica, a variável receita própria foi o destaque nos municípios mais populosos, enquanto que nos municípios de pequeno porte a relevância financeira esteve associada às transferências constitucionais. Na aplicação do modelo RPG, o mapeamento dos coeficientes estatisticamente significativos, permitiu a identificação da localização das unidades nas quais o impacto das variáveis observadas foi mais acentuado. Pontualmente, o produto interno bruto per capita esteve associado à melhoria na condição financeira, enquanto a despesa com pessoal contribuiu para diminuir o QREF.

Biografia do Autor

Marcio Marconato, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Doutor em economia pela Universidade Estadual de Maringá.

José Luiz Parré, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Doutor em economia pela Universidade de São Paulo (ESALQ/USP). Professor titular do departamento de economia da Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Marcio Henrique Coelho, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Doutor em engeharia florestal pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professor do departamento de economia da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Publicado
2020-07-02
Seção
Artigos