Depressão pós-parto: Discutindo o critério temporal do diagnóstico

Evanisa Helena Maio de Brum

Resumo


A Depressão Pós-Parto (DPP) tem sido considerada um problema de saúde pública devido à elevada prevalência, à dificuldade diagnóstica, assim como ao seu impacto no desenvolvimento infantil. Desta forma, este estudo objetiva discutir o critério temporal do diagnóstico, através de uma pesquisa qualitativa com revisão crítica da literatura. Esta discussão tem como base a falta de consenso sobre o momento ideal para realizar o diagnóstico, se no pós-parto, no periparto ou em até quanto tempo depois do parto a depressão ainda pode estar relacionada a ele. Os manuais oficiais apresentam um tempo curto para a ocorrência do diagnóstico. O CID-10 afirma ser em até 6 semanas após o parto; o DSM-V, por sua vez, alega ser da gestação até 4 semanas após o parto. Por outro lado, a maioria dos artigos científicos da área apresentam um prazo diferente que se estende da gestação até 1 ano após o parto. Desta forma, os manuais oficiais que norteiam a prática clínica não refletem os avanços obtidos nas pesquisas científicas publicadas na área, assim sendo, torna-se necessário que os profissionais da área considerem expandir o critério temporal do diagnóstico até um ano após o parto.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.