Mapeamento dos serviços que prestam atendimento a pessoas com transtornos do espectro autista no Brasil

Joana Portolese, Daniela Bordini, Rosane Lowenthal, Elaine Cristina Zachi, Cristiane Silvestre de Paula

Resumo


Introdução: no Brasil, o Sistema Único de Saúde-SUS deveria atender a maior parte da assistência a indivíduos com Transtorno do Espectro do Autismo-TEA, mas não existem dados disponíveis neste campo. Objetivo: mapear as instituições brasileiras que prestam atendimento a indivíduos com TEA. Método: foram coletadas informações através de cadastros da Secretaria Estadual de Saúde, das Associações de Amigos do Autista-AMAs e consultas na internet. As instituições foram contatadas visando ao levantamento de informações sobre o público-alvo e características do serviço. Resultados: verificaram-se 650 instituições, das quais a maioria concentra-se nas regiões Sudeste e Sul. A maior parte consiste nas Associações de Pais Amigos dos Excepcionais-APAEs, seguidas pelos Centros de Atenção Psicossocial Infanto-juvenil-CAPSIs e AMAs. Há predominância do atendimento à infância e adolescência. O atendimento multiprofissional foi mais frequente e dentre as abordagens teóricas destacam-se os métodos TEACCH, Psicoeducação e ABA. Conclusões: o número de instituições para atendimento aos indivíduos com TEA é insuficiente, distribuído de modo irregular no país e carece no atendimento a jovens e adultos. A variabilidade das características dos serviços revela falta de padronização quanto aos procedimentos adotados. O conhecimento dessas informações pode auxiliar no desenvolvimento de novas propostas de assistência com base em evidencias científicas.
Palavras-chave: autismo, serviços de atendimento, intervenção multidisciplinar, Brasil.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.