INFLUÊNCIA DO AGREGADO MIÚDO NA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO

Resumo

O concreto utilizado na construção civil é um compósito que apresenta cimento como aglomerante, agregado miúdo, agregado graúdo, água e, em alguns casos, os aditivos e adições. A dosagem de cada material utilizado, características físicas e mineralógicas dos agregados influenciam na resistência final do concreto. Este artigo apresenta resultados de um estudo conduzido para avaliar o efeito do tipo e da origem do agregado miúdo na resistência à compressão axial extraídos de cinco regiões do estado de São Paulo. A mistura de concreto estudada contém agregado graúdo de origem basáltica e relação água/cimento de 0,45. As areias adotadas foram analisadas granulometricamente, buscando identificar diferenças em suas curvas granulométricas, módulos de finura e propriedades físicas como massa específica e unitária. Os ensaios mostraram que, à medida que se utilizava agregados com baixo teor de finos, se foi obtendo abatimentos menores. Os resultados do trabalho permitiram concluir que, para os componentes estudados, quanto menor o módulo de finura do agregado, para um mesmo traço, maior será a sua resistência à compressão.

Biografia do Autor

Artur Lenz Sartorti, UNASP
Graduado em Engenharia Civil pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo (2005), Mestre em Engenharia Civil (Estruturas) pela Universidade Estadual de Campinas (2008) e Doutor em Ciências, Programa de Engenharia Civil (Estruturas) na Escola de Engenharia de São Carlos - USP (2015). Atualmente é professor Associado de Engenharia Civil do Centro Universitário Adventista de São Paulo na área de Estruturas, Coordenador do Núcleo de Tecnologia de Engenharia e Arquitetura - NUTEA/UNASP e Coordenador do curso de pós graduação em Estruturas de Concreto: Projeto e Prática no UNASP/EC. Engenheiro Civil Calculista/Projetista de Estruturas. Foi Calculista/Projetista de Estruturas na ILTRUK - Projetos & Consultoria Técnica-Comercial Ltda. apoiando as ações de consultoria da mesma. Possui experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Estruturas de Concreto Armado/Protendido, Estruturas Metálicas, Mecânica das Estruturas, Análise de Estruturas, Dinâmica das Estruturas e Análise Laboratorial de Estruturas e Materiais.
Lucas da Silva Babrboza, Centro Universitário de São Paulo - UNASP e UFSCar
Doutorando em Estruturas e Construção Civil pela Universidade Federal de São Carlos, Mestre em Estruturas e Construção Civil também pela Universidade Federal de São Carlos (2016), Pós graduado em Docência Universitária pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo (2014) e Bacharel em Engenharia Civil também pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo (2013). Atualmente é professor do Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP - campus Engenheiro Coelho). Tem estudos realizados na área de Sistemas estruturais, estruturas e materiais de construção civil, atuando principalmente nos seguintes temas: concreto com baixo consumo de cimento, concreto autoadensável e concreto de alta resistência. Durante o período de experiência no magistério superior, tem sido responsável por disciplinas nas áreas de estruturas e construção civil.
Adriel Felipe Henke Rocha, UNASP
Engenheiro civil pelo UNASP
Hércules Paschalis, UNASP
Engenheiro civil pelo UNASP

Referências

ALMEIDA, L. C. Concreto: notas de aula da disciplina. Campinas, SP: Universidade Estadual de Campinas, 2002. Disponível em: www.fec.unicamp.br/~almeida/au405/Concreto.pdf. Acesso em: 20 set. 2016.

AMBROZEWICZ, P. H. L. Materiais de construção: normas, especificações, aplicação e ensaios de laboratório. São Paulo: PINI, 2012.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR 5739: Concreto: Ensaios de compressão de corpos-de-prova cilíndricos. Rio de Janeiro: ABNT, 2018.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR 5738: Concreto: Procedimento para moldagem e cura de corpos de prova. Rio de Janeiro: ABNT, 2015.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR 7221: Agregado: Índice de desempenho de agregado miúdo contendo impurezas orgânicas: Método de ensaio. Rio de Janeiro: ABNT, 2012.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR 7211: Agregados para concreto, Especificação. Rio de Janeiro: ABNT, 2009a.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR NM 52: Agregado miúdo: Determinação da massa específica e massa específica aparente. Rio de Janeiro: ABNT, 2009b.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR NM 53: Agregado graúdo: Determinação da massa específica, massa específica aparente e absorção de água. Rio de Janeiro: ABNT, 2009c.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR NM 45: Agregados: Determinação da massa unitária e do volume de vazios. Rio de Janeiro: ABNT, 2006.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR NM 248: Agregados: Determinação da composição granulométrica. Rio de Janeiro: ABNT, 2003.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR NM 49: Agregado miúdo: Determinação de impurezas orgânicas. Rio de Janeiro: ABNT, 2001.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR NM 67: Concreto: Determinação da consistência pelo abatimento do tronco de cone. Rio de Janeiro: ABNT, 1998.

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR 7211: Agregados para concreto, Especificação. Rio de Janeiro: ABNT, 1983.

FREITAS JÚNIOR, J. A. Materiais de construção, agregados. Paraná: Universidade Federal do Paraná, 2013. Disponível em: http://www.dcc.ufpr.br/mediawiki/images/0/00/TC031_Agregados_.pdf. Acesso em: 20 set. 2016.

GOOGLE Maps. Google Earth. Versão Completa. 2016. Nota (Estado de São Paulo, Brasil). Disponível em: www.google.com.br/maps/@-22.0893317,48.7922776,722189m/data=!3 m1!1e3. Acesso em: 24 set. 2016.

MEHTA, P. K.; MONTEIRO, P. J. M. Concreto: microestrutura, propriedades e materiais. São Paulo: Ibracon, 2014.

MIYAGI, S. Panorama da indústria cimenteira no Brasil. Revista Concreto e Construção, n. 51, p. 27-28, jul./set. 2008.

PEDROSO, F. L. Concreto: as origens e a evolução do material construtivo mais usado pelo homem. Revista Concreto e Construção, n. 53, p. 14-19, jan./mar. 2009.

SBRIGHI NETO, C. Agregados naturais, britados e artificiais para concretos. In: ISAIA, G. C. (ed.). Concreto: ciência e tecnologia. São Paulo: Ibracon, 2011. v. 1, p. 233-260.

Publicado
2019-09-05
Como Citar
Sartorti, A. L., Babrboza, L. da S., Rocha, A. F. H., & Paschalis, H. (2019). INFLUÊNCIA DO AGREGADO MIÚDO NA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO. Revista Mackenzie De Engenharia E Computação, 19(1). Recuperado de http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/rmec/article/view/11423
Seção
Artigos