Análise biomecânica relacionada a lesões no balé clássico

  • Patrícia Paludette Dorneles Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Gabriel Ivan Pranke
  • Luiz Fernando Cuozzo Lemos
  • Clarissa Stefani Teixeira
  • Carlos Bolli Mota

Resumo

Esta revisão bibliográfica objetivou descrever aspectos biomecânicos do balé clássico em relações às lesões e ao equilíbrio. Constatou-se que, durante a prática do balé, o antepé é a região que mais recebe pressões. Além disso, devido aos impactos de intensas sobrecargas quando se utilizam sapatilhas de ponta, há o surgimento de lesões osteomioarticulares, principalmente na articulação do joelho e na região dos dedos dos pés. As bailarinas apresentam maior rotação externa do quadril e uma menor rotação interna dessa articulação. Na posição de ponta, a articulação do tornozelo é submetida a uma flexão plantar de grande amplitude, portanto as bailarinas apresentam uma maior eficiência no controle do equilíbrio quando comparadas a não praticantes de balé clássico. Estudos que realizem análises biomecânicas sobre o balé clássico são de extrema importância para quantificar a incidência de lesões nessa modalidade, de modo a avaliar os tipos de intervenção terapêutica mais adequados a esses bailarinos e criar diferentes estruturas de treinamentos para prevenção de lesões.

 

Palavras-chave: biomecânica; equilíbrio postural; balé clássico.

Biografia do Autor

Patrícia Paludette Dorneles, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Mestranda em Ciências do Movimento Humano- UFRGS
Publicado
2014-12-19