A Auditoria e os Sistemas de Controles Internos no Brasil: Antecedentes e Evolução

Sergio Arnor Vieira

Resumo


A auditoria externa ou independente é uma especialização da contabilidade voltada para o exame e a revisão das demonstrações contábeis. O objetivo final é a emissão de um parecer acerca da adequabilidade da posição econômico-financeira e patrimonial de uma entidade, em observância aos dispositivos legais e regulamentares. É voltada,  preponderantemente, para o ambiente externo, eis que o parecer do auditor é uma peça fundamental para subsidiar o processo decisório dos usuários fora do ambiente empresarial. A auditoria interna, por sua vez, é voltada para o ambiente interno. O produto final dos trabalhos do auditor interno é a emissão de um relatório, no qual expressa sua opinião sobre a observância às normas internas e aos dispositivos legais e regulamentares. Para que possa emitir sua opinião, é fundamental que o auditor realize a avaliação percuciente do controle interno da entidade que está sendo auditada. Por sua vez, o controle interno refere-se às regras divulgadas pela administração destinadas a proteger o patrimônio da entidade. É sabido que os procedimentos de avaliação dos controles internos tiveram uma extraordinária mudança e maior amplitude, à mercê dos novos riscos e da complexidade, em todas as vertentes, oriundos do uso maciço da informática, o que exige maior empenho dos auditores na avaliação dos controles internos. Este artigo pretende realizar uma abordagem acerca da evolução dos processos de avaliação dos controles internos das organizações. Ao final, o estudo apresenta uma sugestão de busca de informações que possam subsidiar a elaboração da avaliação do controle interno e um breve comentário acerca das novas exigências à auditoria introduzidas pela Lei Sarbanes-Oxley.


Texto completo:

PDF