Religião na pós-modernidade

Sebastião Hugo Brandão

Resumo


Nesta pesquisa investigamos a estreita relação entre o fenômeno religioso – religião – e a “pós-modernidade”. Para esta complexa tarefa nos fundamentamos em teóricos que discorrem sobre pós-modernidade e religião, contudo, o teórico central desta pesquisa é o sociólogo polonês Zygmunt Bauman. Com a pós-modernidade, a religião, ao menos suas representações institucionais, tornou-se coadjuvante no debate sobre temas relevantes, porém, a humanidade prossegue vivendo dimensões religiosas, cada vez mais particulares e subjetivas. A religião não se encerra com o processo de secularização na pós-modernidade, ao contrário, ela ganha novas formas e contornos, se reinterpreta e se resignifica, ressurge e se difunde. Mesmo não tendo o “protagonismo” que exercia no período pré-moderno a religião continua exercendo papel importante na pós-modernidade, estando presente em todas as áreas do desenvolvimento humano, ainda que seja de forma velada. São públicas e notórias as transformações advindas com a modernidade, sobretudo, ao que se refere à religiosidade e suas consequências, que nesta pesquisa conceituamos por pós-modernidade. O sujeito pós-moderno passou a relacionar-se de forma distinta aos outros períodos históricos em relação a Deus e a Religião. Defendemos que a radicalização e/ou o aprofundamento da modernidade gerou consequências históricas, sociais, culturais, políticas, psíquicas e, sobretudo, religiosas, dentre outras áreas do universo humano que esteve ou está em processo de mudança; essas consequentes transformações em curso é a pós-modernidade.


Texto completo:

PDF