Efeitos dos choques de política monetária sobre as taxas de inflação desagregadas: uma análise a partir de um TVP-VAR entre 2003 e 2020

Autores

  • Aroldo de Freitas Junior UERN
  • Rodolfo Herald da Costa Campos UERN
  • Thiago Geovane Pereira Gomes UERN
  • Franciclézia de Sousa Barreto Silva UERN

Palavras-chave:

Política Monetária, Regra de Taylor, TVP-VAR, Inflação Desagregada, IPCA, Selic

Resumo

O presente trabalho avalia as respostas da inflação desagregada à choques de política monetária durante o período de 2003 a 2020. Modelos de Vetores Autorregressivos com parâmetros variantes no tempo (TVP-VAR) são estimados e as funções de resposta ao impulso são utilizadas para avaliar o comportamento dos preços desagregados à choques na SELIC em diferentes períodos. Para verificar possíveis mudanças na condução da política monetária no período, estimou-se também uma regra de Taylor para o período estudado sujeito a quebras estruturais. Os resultados do teste de quebra estrutural de Bai e Perron (2003) encontraram evidências empíricas de uma quebra em 2006m08, que pode estar associada a uma mudança na condução de política monetária por parte do Banco Central. Esta data, juntamente com as datas onde assumiram os presidentes do Banco Central, foi utilizada na análise das funções de resposta ao impulso do TVP-PVAR para comparação dos efeitos dos choques de política monetária em períodos distintos. Os resultados, a partir das funções de resposta ao impulso estimadas, demostram respostas semelhantes dos choques de política monetária sobre preços desagregados em períodos distintos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aroldo de Freitas Junior, UERN

Técnico em Enfermagem pela Escola Profissionalizante Catarina de Siena (2015), graduando em Ciências Econômicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), pesquisador pelo Departamento de Economia (DEC), monitor da disciplina de Calculo I, no Programa Institucional de Monitorias - PIM (2017), monitor da disciplina de Economia matemática, no Programa Institucional de Monitorias - PIM (2017).

Rodolfo Herald da Costa Campos, UERN

Possui graduação em Licenciatura em Matemática pelo Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia (2012), graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará (2009), mestrado em Economia pela Universidade Federal do Ceará (2012) e doutorado em Economia pela Universidade Federal do Ceará (2018). Atualmente é professor Adjunto I e professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Economia ? PPE, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Métodos e Modelos Matemáticos, Econométricos e Estatísticos.

Thiago Geovane Pereira Gomes, UERN

Possui Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal da Paraíba (2011), Mestrado em Economia - Campus Agreste pela Universidade Federal de Pernambuco (2016) e doutorado em Economia pela Universidade Federal da Paraíba (2022). Atualmente é membro de projetos de pesquisa da Universidade Federal Rural do Semi-Árido e da UERN, como também, professor adjunto III da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Macroeconomia, atuando principalmente nos seguintes temas: Equilíbrio Geral Dinâmico Estocástico, Tributação, Economia Informal, Pobreza, Desigualdade, Redistribuição de Renda e Crescimento Econômico. 

Franciclézia de Sousa Barreto Silva, UERN

Economista. Professora do Departamento de Economia CAPF/UERN. Possui doutorado em Planejamento Urbano e Regional pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional IPPUR/UFRJ (2020). Mestrado em Serviço Social pela UFRN (2011). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Economia, Cultura e Território (GEPECT/UERN). Atua principalmente, com os seguintes temas: Economia Regional e Urbana. Economia Social e do trabalho. Planejamento Urbano e Regional.

Referências

Banco Central do Brasil. Relatório de inflação, Brasília, 2006. Disponível em: < https://www.bcb.gov.br/content/ri/relatorioinflacao/200612/RELINF200612-ri200612c2p.pdf> Acesso em: 07 de maio. de 2020

Banco Central do Brasil. Relatório de administração do Selic, Brasília, 2018. Disponível em: < https://www3.bcb.gov.br/rasselic/index.html> Acesso em: 12 de nov. de 2020.

BAI, Jushan; PERRON, Pierre. Estimating and testing linear models with multiple structural changes. Econometrica, p. 47-78, 1998.

BAI, Jushan; PERRON, Pierre. Computation and analysis of multiple structural change models. Journal of applied econometrics, v. 18, n. 1, p. 1-22, 2003.

BAER, Werner. A retomada da inflação no Brasil: 1974-1986. Brazilian Journal of Political Economy, v. 7, n. 1, 1987.

BALBINO, Christian Eduardo; COLLA, Ernesto; TELES, Vladimir Kuhl. A política monetária brasileira sob o regime de metas de inflação. Revista Brasileira de Economia, v. 65, n. 2, p. 113-126, 2011.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos; NAKANO, Yoshiaki. Hiperinflação e estabilização no Brasil: o primeiro Plano Collor. Brazilian Journal of Political Economy, v. 11, n. 4, 1991.

BRESSER PEREIRA L.C. Reforma do estado para a cidadania: a reforma gerencial brasileira na perspectiva internacional. São Paulo, Editora 34, 1998.

CARRARA, Aniela Fagundes; CORREA, André Luiz. O regime de metas de inflação no Brasil: uma análise empírica do IPCA. Revista de Economia Contemporânea, v. 16, n. 3, p. 441-462, 2012.

CARVALHO, Fernando et al. Economia monetária e financeira: teoria e política. Elsevier Brasil, 2017.

CLARIDA, Richard; GALI, Jordi; GERTLER, Mark. Regras de política monetária na prática: Algumas evidências internacionais. European Economic Review , v. 42, n. 6, pág. 1033-1067, 1998.

CLARIDA, Richard; GALI, Jordi; GERTLER, Mark. The science of monetary policy: a new Keynesian perspective. Journal of economic literature, v. 37, n. 4, p. 1661-1707, 1999.

DE OLIVEIRA, Nadja Simone Menezes Nery et al. Testando mudanças estruturais na regra de Taylor: um estudo empírico para o Brasil (2000-2011). Revista de Economia, v. 39, n. 2, 2013.

DINIZ, André et al. Custos fiscais da política monetária: os efeitos indiretos de um choque de juros sobre a dívida líquida do setor público. Anais do XLI Encontro Nacional de Economia da ANPEC-Associação Nacional dos Centros de Pósgraduação em Economia, 2014.

FERRARI FILHO, Fernando. O legado do Plano Real: uma estabilização sem crescimento econômico?. Análise econômica. Porto Alegre. Vol. 19, n. 35 (mar. 2001), p. 5-21, 2001.

FIGUEIREDO, F.M.R. & FERREIRA, T.P. Os Preços Administrados e a Inflação no Brasil. Banco Central do Brasil Working Paper Series, Brasília, n. 59, dezembro 2002.

FRAGA, Arminio; GOLDFAJN, Ilan; MINELLA, Andre. Inflation targeting in emerging market economies. NBER macroeconomics annual, v. 18, p. 365-400, 2003.

FERNANDES, Marcelo; TORO, Juan. O mecanismo de transmissão monetária na economia brasileira pós-Plano Real. Revista Brasileira de Economia, v. 59, n. 1, p. 5-32, 2005.

GOMES, Cleomar et al. Metas inflacionárias, preços livres e administrados no Brasil: Uma análise econométrica. Encontro Nacional de Economia, v. 23, p. 1-17, 2004.

GREMAUD, Amaury P.; VASCONCELLOS, Marco Antonio S.; TONETO JR, Rudinei. Economia Brasileira Contemporânea. 5ª. Edição, São Paulo: Atlas, v. 8, 2017.

GORONCIO, E. A.; TEIXEIRA, A. C. C. O endividamento dos estados brasileiros após a Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF. XXXIV Encontro Nacional ANPAD, 2010.

JESUS, Cleiton Silva de; LOPES, Thiago Henrique Carneiro Rios. Função de reação da política monetária: o caso do Brasil. Fortaleza: Banco do Nordeste (BNB), p. 14, 2016. Disponível em: <https://www.bnb.gov.br/documents/160445/2051679/FUN%C3%87%C3%83O+DE+REA%C3%87%C3%83O+DA+POL%C3%8DTICA+MONET%C3%81RIA.pdf/061e6cfd-454b-a70c-987b-459f1698af1a> Acesso em: março. 2021.

SICSÚ, Joao. Emprego, Juros e Câmbio. Parte VI. A Economía Brasileira Recente. 2007.

LOPES, Francisco Lafaiete. Inflação inercial, hiperinflação e desinflação: notas e conjecturas. Brazilian Journal of Political Economy, v. 5, n. 2, 1985.

MARTINEZ, Thiago Sevilhano; CERQUEIRA, Vinícius dos Santos. Estrutura da inflação brasileira: determinantes e desagregação do IPCA. Texto para Discussão, 2011.

MENDONÇA, Helder Ferreira de. Metas para inflação e taxa de juros no Brasil: uma análise do efeito dos preços livres e administrados. Brazilian Journal of Political Economy, v. 27, n. 3, p. 431-451, 2007.

MODENESI, André de Melo. Convenção e rigidez na política monetária: uma estimativa da função de reação do BCB-2000-2007. Texto para discussão, 2008.

POLICANO, Rodrigo Mantovani. A sensibilidade da política monetária no Brasil: 1995-2005. 2006. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

PRADO, Pedro Henrique Martins; DA SILVA, Cleomar Gomes. Política monetária e regime de metas para inflação no Brasil: uma análise do período 2004-2014. Revista de Desenvolvimento e Políticas Públicas, v. 1, n. 1, p. 17-33, 2017.

PRIMICERI, Giorgio E. Time varying structural vector autoregressions and monetary policy. The Review of Economic Studies, v. 72, n. 3, p. 821-852, 2005.

ROCHA, Sonia. Renda e pobreza: os impactos do Plano Real. 1996.

RODRIGUES, Wellington Gonçalves et al. Mudanças de regimes na função de reação do Banco Central do Brasil: uma abordagem utilizando markov regime switching. Anais do 43º Encontro Nacional de Economia ANPEC, 2015.

SCHIO, Thyago Americo; SATO, Vinicius Hiroshi; HASEGAWA, Marcos Minoru. A gestão da política monetária no regime de metas de inflação e na nova matriz econômica. Análise Econômica, v. 38, n. 77, 2020.

SILVA JUNIOR, N. F. A Regra de Taylor e a Política Monetária Brasileira: Relações de Longo e Curto Prazo. Vitória: UFES, 2013. Dissertação (mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Teoria Econômica, Universidade Federal do Espirito Santo, Espirito Santo, 2013.

Downloads

Publicado

2023-07-27

Como Citar

de Freitas Junior, A., da Costa Campos, R. H., Pereira Gomes, T. G., & Barreto Silva, F. de S. (2023). Efeitos dos choques de política monetária sobre as taxas de inflação desagregadas: uma análise a partir de um TVP-VAR entre 2003 e 2020. Revista De Economia Mackenzie, 20(1), 119–151. Recuperado de https://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/rem/article/view/15921

Edição

Seção

Artigos