Homogeneidades presumidas

pequenas cidades e sua caracterização tipológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5935/cadernospos.v23n1p146-162

Palavras-chave:

Planejamento urbano; Municípios de pequeno porte; pequenas cidades; Análise de agrupamento.

Resumo

Historicamente, o debate sobre o planejamento e gestão de cidades relegou os municípios de pequeno porte a uma posição secundária, considerados como um grupo homogêneo e de menor importância no quadro nacional. Há, contudo, um protagonismo esquecido, facilmente percebido por seu predomínio em termos absolutos – 68,3% dos 5.570 municípios brasileiros possuem população inferior a 20 mil habitantes. Nesse contexto, este artigo analisa a homogeneidade presumida deste conjunto, explorando características que os distinguem e que expressam, por si, outras territorialidades. Neste trabalho, adotou-se o Estado do Paraná como caso-piloto, constituindo-se a amostra de pesquisa com vistas a realizar uma análise de agrupamento dos municípios. Adota-se uma abordagem exploratória com desenho metodológico quantitativo a partir da aplicação de análise estatística multivariada. Ao final, o resultado foi a proposição de grupos tipológicos, reunidos segundo determinadas características, possibilitando a compreensão da distribuição espacial dos municípios de pequeno porte. Com isso, o artigo contribui com o campo ao aplicar técnicas exploratórias para classificar tais municípios, revelando distinções menos frequentemente consideradas, contribuindo na compreensão do urbano a partir das pequenas cidades, um olhar para seus papéis urbanos, suas diversidades e relevância.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADAM, B.; BLATGAN, N. Bevölkerungsdynamik und innenentwicklung in mittelstädten; BBSR-Analysen Kompakt 10/2019. Alemanha: BBSR, 2019.

AMORIM F. O.; SERRA, R. V. Evolução e perspectivas do papel das cidades médias no planejamento urbano e regional. In: ANDRADE, T. A. (org.). Cidades médias brasileiras. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 2001. p. 1-34.

ATKINSON, R. The small towns conundrum: what do we do about them? Regional Statistics, v. 9, n. 2, p. 3-19, 2019. DOI 10.15196/RS090201

CASTELLO BRANCO, M. L. G. Cidades médias no Brasil. In: SPOSITO, E. S.; SPOSITO, M. E. B.; SOBARZO, O. Cidades médias: produção do espaço urbano e regional. São Paulo: Expressão popular, 2006. p. 245-277.

CHRISTALLER, W. Central places in Southern Germany. Englewood Cliffs: Prentice-Hall, 1966.

CORRÊA, R. L. A rede urbana. São Paulo: Ática, 1989.

CORRÊA, R. L. As dimensões de análise das redes geográficas. In: Trajetórias geográficas. 7 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997.

CORRÊA, R. L. Globalização e reestruturação da rede urbana: uma nota sobre as pequenas cidades. Território, Rio de Janeiro, v. 6, p. 43-53, 1999.

CORRÊA, R. L. Hinterlândias, hierarquias e redes: uma avaliação da produção geográfica brasileira. In: CARLOS, A. F. A. (org.). Os caminhos da reflexão da cidade e do urbano. São Paulo: Edusp, 1994. p.323-359.

ENDLICH, Â. M. Pensando os papéis e significados das pequenas cidades do Noroeste do Paraná. 2006. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, SP, 2006.

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P. Manual de análise de dados: estatística e modelagem multivariada com Excel, SPSS e Stata. Rio de Janeiro: GEN LTC, 2017.

FERNANDES, P. H. C. Sociabilidade e sentimento de insegurança urbana em pequenas cidades: o Norte do Paraná. 2012. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, 2012.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Perfil dos municípios brasileiros: 2018. Rio de Janeiro, 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Divisão regional do Brasil em regiões geográficas imediatas e regiões geográficas intermediárias. 2017. Disponível em: ttps//biblioteca.ibge.gov.br/visualização/livros/liv100600.

pdf. Acesso em: 2 fev. 2022.

MEDEIROS, S.; GONÇALVES, L. Instrumentos urbanísticos nos municípios paulistas de pequeno porte. In: 9° CONGRESSO LUSO-BRASILEIRO PARA O PLANEJAMENTO URBANO, REGIONAL, INTEGRADO E SUSTENTÁVEL. Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, SP, 2021.

MELO, N. A. de. Pequenas cidades na microrregião geográfica de Catalão (GO): análises de seus conteúdos e considerações teórico-metodológicas. 2008.

Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, MG, 2008.

MÜNTER, A.; OSTERHAGE, F. Trend urbanisierung? Analyse der binnenwanderung in Deutschland 2006 bis 2015. Alemanha: Bertelsmann-Stiftung, 2018.

NASCIMENTO NETO, P.; MOREIRA, T. A. Das intersecções formais às distensões funcionais: operações urbanas e a financeirização na periferia do capitalismo. Cidades, Comunidades e Territórios, Lisboa, Portugal, v. 44, p. 1-21, 2022.

NASCIMENTO NETO, P. Brazilian-style financialization: CEPACs and the desire to be prime. VIRUS, São Paulo, v. 13, p. 1-11, 2021.

NASCIMENTO NETO, P. Tudo que é sólido desmancha no ar: reflexões sobre a gestão urbana contemporânea no Brasil. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, v. 37, p. 37-51, 2016.

OLIVEIRA, C.; MAGALHÃES, J. Estrutura produtiva avançada e regionalmente integrada: diagnóstico e políticas de redução das desigualdades regionais. Livro 5. 2 v. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 2010.

PEREIRA, A. M. Cidade média e região: o significado de Montes Claros no Norte de Minas Gerais. 2007. (Tese de Doutorado em Geografia) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, MG, 2007.

ROCHEFORT, M. Redes e sistemas: ensinando sobre o urbano e a região. São Paulo: Hucitec, 1998.

SANTOS, M. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. Tradução Myrna T. Rego Viana. Rio de Janeiro: Editora Francisco Alves, 1979.

SANTOS, M. Espaço e sociedade: ensaios. Petrópolis: Vozes, 1982.

SCHERER, C. E. M.; AMARAL, P. V. M. do. O espaço e o lugar das cidades médias na rede urbana brasileira. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Rio de Janeiro, v. 22, E202001, 2020. DOI 10.22296/2317-529.RBEUR.202001

SCHINDLER, S. Towards a paradigm of Southern urbanism. City, v. 21, n. 1, p. 47-64, 2017. DOI 10.1080/13604813.2016.1263494

SILVA, P. F. J.; BERNARDELLI, M. L. F. H. Formação socioespacial e cidades pequenas: um segmento da rede urbana na porção meridional de Mato Grosso do Sul. Geousp – Espaço e Tempo, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 163-181, 2019. DOI 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2019.137104

SILVA, W. R. Para além das cidades: centralidade e estruturação urbana: Londrina e Maringá. 2006. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Estadual de São Paulo, Presidente Prudente, SP, 2006.

SPÓSITO, E. S. A vida nas cidades: repensando a geografia. 2. ed. São Paulo: Contexto, 1994.

SPOSITO, M. E. B. As cidades médias e os contextos econômicos contemporâneos. In: Urbanização e cidades: perspectivas geográficas. São Paulo: Editora da Unesp, 2001. p. 569-607.

STEINBERGER, M.; Bruna, G. C. Cidades médias: elos do urbano-regional e público-privado. In: ANDRADE, T. A. (org.). Cidades médias brasileiras. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 2001. p. 35-77.

TACOLI, C. The Earthscan reader in rural-urban linkages. Londres: Earthscan, 2006.

TACOLI, C.; AGERGAARD, J. Urbanisation, rural transformation and food systems: the role of small towns. Londres: IIED, 2017.

TAYLOR, P. J. et al. Advances producer service firms as strategic networks, global cities as startegic places. Economic Geography, v. 90, n. 3, p. 267-291. DOI 10.1111/ecge.12040

VIEIRA, A. B. Cidades médias: uma abordagem a partir da dimensão política da leitura econômica. Caminhos de Geografia, Uberlândia, Minas Gerais, v. 12, n. 40, p. 181-188, 2011.

WATSON, V. Locating planning in the New Urban Agenda of the urban sustainable development goal. Planning Theory, v. 15, n. 4, p. 435-448, 2016. DOI 10.1177/1473095216660786

Downloads

Publicado

2023-06-30 — Atualizado em 2023-07-06

Como Citar

SANTORO, A. G.; NASCIMENTO NETO, P. Homogeneidades presumidas: pequenas cidades e sua caracterização tipológica. Cadernos de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 146–162, 2023. DOI: 10.5935/cadernospos.v23n1p146-162. Disponível em: https://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/cpgau/article/view/15334. Acesso em: 22 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos