TESTES DE NORMALIDADE EM ANÁLISES ESTATÍSTICAS: UMA ORIENTAÇÃO PARA PRATICANTES EM CIÊNCIAS DA SAÚDE E ATIVIDADE FÍSICA

Dahan da Cunha Nascimento, Ramires Alsamir Tibana, Gislane Ferreira de Melo, Jonato Prestes

Resumo


Aprender a aplicar as análises estatísticas em resultados de estudos experimentais leva tempo, maturidade e erros com o processo. Todavia, o entendimento da estatística para seus praticantes pode ser um processo duradouro e até mesmo amedrontador. Grande parte do temor associado envolve o entendimento de que a estatística está perdida em meio às fórmulas matemáticas. No entanto, o desentendimento sobre os propósitos e aplicações das análises estatísticas geram falhas que regularmente são encontradas nas análises de estudos publicados. Ademais, devemos considerar que previsões inadequadas devido ao uso inapropriado dessas análises comprometem negativamente a aplicabilidade clínica e prática dos resultados. Devemos indagar por que profissionais nas áreas das ciências da saúde e atividade física precisam saber estatística, o quanto sabemos, o quanto precisamos e como adquirimos conhecimentos estatísticos. Por isso, o objetivo deste estudo é de contribuir com os praticantes em estatística nas áreas de ciências da saúde e atividade física para a compreensão das limitações de técnicas estatísticas com ênfase nos testes de normalidade comumente utilizados. Além disso, entender suas desvantagens, quando utilizá-los e promover a reflexão sobre o uso cuidadoso, dever social, profissional e ético de praticantes em estatística envolvidos em análises de dados nas áreas de ciências da saúde e atividade física.

Palavras-chave: estatística; testes; ciências da saúde.


Texto completo:

PDF