A influência da orientação motivacional durante o treinamento de atletas iniciantes no tênis de campo

  • Vinicius Barroso Hirota Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Daniel Hideki Hayashi Hideki Hayashi Hayashi
  • Ademir De Marco Universidade Estadual de Campinas – Brasil
  • Carlos Eduardo Lopes Verardi Universidade Estadual Paulista – Brasil

Resumo

A motivação no esporte tem sido um dos temas mais estudados nos dias de hoje, tanto que alguns autores dizem que a motivação é a base para o sucesso de um atleta, ou seja, a parte psicológica também deve ser bem estimulada para que se atinja o nível máximo de concentração durante uma partida e se consiga obter o resultado esperado. O tênis de campo é um dos esportes que mais cresceram nos últimos anos, e com essa rápida ascensão também aumentou o número de interessados em pesquisar nessa área da psicologia do esporte. O presente estudo teve como objetivo dar início à adaptação e validação da escala de interesse e analisar a influência da orientação motivacional dos atletas no desempenho esportivo no tênis de campo com a aplicação da escala Teosq – Task and Ego Orientation in Sport Questionnaire (DUDA, 1992), traduzido, adaptado e validado por Hirota e De Marco (2006a), onde podemos identificar se o indivíduo é orientado para Meta Tarefa ou orientado para Meta Ego. Esta pesquisa foi realizada numa academia de tênis situada na cidade de Cotia (SP), contando com a participação de 20 sujeitos com idade entre 9 e 18 anos de ambos os sexos, praticantes de tênis. Foi adotado como método estatístico o cálculo do Coeficiente Alfa de Cronbach, a fim de coligar a fidedignidade e a validade do instrumento, além da média de cada orientação, podendo assim verificar a orientação motivacional das atletas. Pela análise dos resultados observou-se o Coeficiente Alfa, valor este elevado comparado com estudos anteriores, atingindo valores de orientação para o ego de 0,90, e 0,70 de orientação para tarefa. Foram registradas as seguintes médias, 4,20 (+0,93) e 2,42 (+0,85), respectivamente, de orientação para tarefa e para ego. Com esses resultados podemos apontar que a escala aplicada com a proposta de identificar a orientação motivacional de atletas de tênis de campo mostrou-se eficiente e fidedigna na sua aplicação; e, de acordo com os resultados, os atletas são orientados para a tarefa, mostrando-se mais autodeterminados, autoconfiantes, mais criativos e julgam seu êxito pela qualidade do trabalho realizado.


Palavras-chave: avaliação; motivação; tênis.

Biografia do Autor

Vinicius Barroso Hirota, Universidade Presbiteriana Mackenzie
Formado em Educação Física (FEFISA), Especialista em Educação Motora e Psicopedagogia e Mestre em Educação Física. Professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie (CCBS - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Curso de Educação Física) e IESA (Curso de Pedagogia)
Publicado
2012-03-22