Salto vertical em jovens basquetebolistas: estimativa da utilização da energia elástica/potenciação reflexa e participação dos membros superiores

Ytalo Mota Soares, Pablo Rebouças Marcelino, Claudio Luiz Souza Meirelles, Sandy Gonzaga de Melo

Resumo


Resumo: O objetivo deste estudo foi estimar a contribuição da energia elástica, potenciação reflexa e participação dos membros superiores no salto vertical. Dezesseis atletas juvenis de basquetebol do sexo masculino realizaram três tipos de salto vertical: sem contramovimento (SQJ), com contramovimento (CMJ), e com o uso dos membros superiores (MMSS). Foram obtidas médias de 30,1 ± 4,4 cm no SQJ, de 32,9 ± 4,9 cm para o CMJ e de 41,6 ± 5,6 cm no MMSS, apresentando diferença estatística entre todos os tipos de salto (p < 0,05). Os resultados sugerem que em atletas de basquetebol o uso isolado dos membros inferiores pode limitar o desempenho, devido à falta de especificidade dos testes em relação ao movimento realizado no esporte.

Palavras-chave: basquetebol; salto vertical; energia elástica.


Texto completo:

PDF